Posts arquivados em: Tag: Dicas de Viagem

EUA Livros Viagens

Planejando uma viagem de última hora

12 de janeiro de 2018

2017 foi o ano que tivemos que mudar tudo o que planejamos aos 45 minutos do segundo tempo no jogo da vida. Desde nossa volta repentina do Togo para os EUA antes do previsto, passando pelo nosso casamento que ia acontecer em agosto na Costa do Dendê na Bahia (rolou em setembro em Washington), sem contar outros perrengues que não valem a pena serem mencionados por aqui… foi o ano da resiliência. Claro que nossa última viagem do ano, não ia ser diferente.

A ideia era passar um mês no Brasil em novembro. Como eu ia voar para fazer provas na faculdade, íamos aproveitar para esta ser a nossa grande viagem do ano. Já tínhamos reservado hotéis, comprado passagens, reservado passeios. Meu marido ia finalmente voltar ao Brasil após 3 anos, minha família estava animada e excitada para nos abraçar após o nosso casamento. Estava tudo pronto quando fui informada que não podia deixar os EUA. Abafa o caso… chorei, gritei, esperneei, de nada adiantou… Além de ter de cancelar tudo, perder dinheiro com alguns hotéis e com a TAM, meu marido não podia simplesmente cancelar as férias dele. Nos vimos com 21 dias nas mãos já aprovados para poder fazer o que quiséssemos e eu totalmente devastada e depressiva sem cabeça para organizar mais nada. Eu já tinha gastado toda a minha energia montando um mega roteiro pelo nordeste brasileiro, como pensar em outro local faltando apenas 14 dias para viajar?

Sentei sem vontade na frente do computador e tive de decidir para onde iríamos. Só tinha uma condição: no roteiro que eu ia montar, tinha que incluir o Death Valley. Meu esposo colocou na cabeça que queria passar uns dias isolados dirigindo por estradas onde não teria nenhum outro vestígio de civilização além de nós…  Corri na Barnes and Nobles e comprei o guia USA National Parks da Lonely Planet e foi aí que tudo mudou. Após dois dias eu já tinha um esboço em mente. Íamos fazer uma road trip pela Califórnia passando pelo Death Valley, Yosemite e de lá íamos descer a Pacific Coastal Highway até Los Angeles. O problema foi que quanto mais nós líamos o guia… mais parques queríamos incluir no roteiro… e muito provavelmente os 21 dias não seriam suficiente para ver tudo o que tínhamos em mente. Depois de muito pesar a respeito, colocamos num papel os locais que queríamos ver em ordem de importância, jogamos no Google Maps e partir daí decidimos comprar apenas as passagens de ida e volta entre Washington D.C e Los Angeles e alugar o carro. Todo o restante da viagem ia ser no esquema decidir o que fazer ao acordar. Foi a primeira vez que viajamos assim e foi uma agradável surpresa. Eu sou a rainha das listas e no nosso roteiro geralmente coloco até a hora que vamos acordar… viajar sem nada definido foi libertador.

Roteiro

 

Então a partir do próximo post, vou dividir com vocês a nossa viagem épica por 6 dos maiores parques nacionais dos Estados Unidos localizados em 4 estados distintos. Vou compartilhar dicas sobre o Arizona, a Califórnia, Nevada e o Utah. O que ver, fazer, onde dormir, onde não dormir, onde comer e como chegar aos locais sensacionais que encontramos pelo caminho nessa viagem que nem pensávamos em fazer a dois meses atrás e acabou se tornando uma das nossas viagens mais legais.

 

Até o próximo post 🙂

Compartilhe

Por Érica Brasilino

0

Pessoas comentaram

Documentação de Viagem Estilo de Vida Saindo do Brasil

Quando a viagem para o exterior pode se tornar uma dor de cabeça

12 de setembro de 2017

Este final de semana acompanhamos estarrecidos a força do furação Irma que desolou ilhas no Caribe e deixou mais de 6 milhões de pessoas na Flórida alagadas e sem energia elétrica. Milhões ainda estão fora do estado e o governador ontem a noite implorou que essas pessoas evitem voltar para casa, pois nem estradas estão preparadas para receber eles de volta como os serviços públicos ainda vão levar dias para voltarem ao normal.

E no meio de todo este caos tem os turistas. Se passar por uma situação dessas é uma dor de cabeça sem fim para quem mora aqui, imagina para quem está apenas de passagem.

Quando viajamos ao exterior, temos que tomar precauções, muitas vezes juntamos dinheiro por muito tempo para a viagem dos sonhos mas imprevistos acontecem. Desde uma pedra na vesícula no interior da Itália até óbito repentino (sim acontece com mais frequência do que você pode imaginar), podem tirar o sono dos familiares que ficaram no seu país de origem e muitas vezes sem dinheiro para poder trasladar o corpo do turista de volta ao Brasil. Mas como tentar resolver em partes este tipo de dor de cabeça quando viajamos?

Seguro Viagem

O primeiro e mais importante item de um viajante (profissional ou não) é o seguro viagem. A maioria dos cartões de crédito internacionais no Brasil oferecem o seguro de viagem caso o titular do cartão e a pessoa que irá utilizar a passagem sejam a mesma pessoa. Se o cartão oferecer, peça ao atendente que envie para o seu e-mail a apólice do seguro viagem e tenha a cópia impressa com você. Mesmo na era da tecnologia, cópias impressas ainda são mais aceitas em situações de emergência no exterior do que versões eletrônicas. Se o seu cartão não oferecer o seguro, recomendo que você entre em contato com o seu agente de seguros para que ele indique a melhor opção para você. O seguro viagem cobre desde custas médico hospitalares até traslado do corpo casa haja óbito. Acredite, em caso de falecimento no exterior, você estará ajudando e muito a sua família se por ventura algo aconteça. Acompanhei de perto dois casos de falecimento de brasileiros (um nos EUA o outro em Belize) e o trauma causado aos familiares que não tinham dinheiro para as custas  de transporte foram enormes.

Cópias de Documentos

Após cuidar do seguro viagem, indico que você faça cópias dos seus documentos. Passaporte, RG, CPF entre outros. Caso você tenha seu passaporte furtado ou simplesmente perca ele, você deverá contactar a missão diplomática brasileira mais próxima do seu destino de viagem e agendar um atendimento de emergência. Principalmente se você estiver fazendo aquelas viagens que pretende cruzar várias fronteiras, como na Europa.

Contatos no Exterior

E por falar em contactar a missão diplomática no exterior… sempre leve com você os telefones e endereços mais importantes. Neste caso o da missão diplomática brasileira mais próximo (consulado ou embaixada do Brasil), telefones dos cartões de crédito no exterior (muitos cartões como o AMEX oferecem uma linha telefônica que português no exterior), telefone e endereço do hotel onde vai ficar hospedado, telefone e nomes de contatos de emergência no exterior. Estes dados não devem estar apenas no seu celular, é importante manter uma cópia escrita na carteira ou na bolsa. Caso aconteça algo com você e por ventura você perca a consciência, é importante que um terceiro tenha acesso a estas informações para te auxiliar.

Informar roteiro de viagem para alguém de confiança

Uma das medidas mais importante em todas as viagens que faço, é enviar um e-mail para a minha mãe com todos os dados da minha viagem. Ela nunca abre estes e-mails… porque geralmente nós fazemos 13 cidades em 21 dias e passamos por 8 hotéis diferentes. Minha mãe não consegue entender nossa necessidade de pé na estrada. Porém ela tem lá o nosso roteiro com todas as informações detalhadas, onde estaremos a cada dia, telefone dos hotéis que pretendemos ficar, países onde faremos escalas e afins. Já atendi um caso no passado no meu antigo empregador que um brasileiro veio a óbito no Japão mas morava na Austrália. Quando descobriram o corpo, a mãe atônita jurava que não era o filho dela porque ele morava em outro país. Please… sempre informe alguém sobre o seu paradeiro.

Deixo abaixo a cartilha elaborada pelo Itamaraty explicando como obter um seguro de viagem e também o link deles com orientações gerais para quem vai viajar ao exterior. Vale a pena dar uma olhada.

Assistência de Viagem

Orientações Gerais Itamaraty

Claro que existem outras medidas de segurança, mas essas são as mais importantes quando viajamos para o exterior. Você cumpre algumas dessas medidas ou nunca parou para pensar sobre elas?

 

Compartilhe

Por Érica Brasilino

0

Pessoas comentaram