Categoria: Maryland

América EUA Maryland Viagens Virgínia Washington

Acomodação e Transporte em Washington D.C

31 de Maio de 2016

Washington é uma das cidades mais caras dos EUA para se hospedar. Porém se você considerar que 80% das atrações da cidade são gratuitas, eu acho que vale muito a pena visitar a capital dos Estados Unidos.

Você tanto pode optar por um hotel em DC  mesmo ou pelos bairros na cidade de Arlington, que são atendidas pelo metrô . Em 20 minutos no máximo, você está na capital.

Pelo o que pesquisei no Booking, uma semana em Agosto para duas pessoas pode variar entre U$500 a U$2200 dólares de acomodação. Tudo vai depender claro, do tipo de viajante que você é. Eu só preciso de um chuveiro quente, cama limpa e macia, ar condicionado/aquecedor e wi fi. Não me preocupo com amenidades como piscina ou academia. Quanto mais facilidades o hotel te oferecer e quanto mais próximo da Casa Branca mais caro ele será.

Decidido o hotel, chegou a hora de pensar em locomoção. Como já mencionei o Metrô atende a grande DC e os estados vizinhos de Maryland e Virgínia. O metrô aqui funciona com um cartão chamado Metro Card e ele pode ser comprado em qualquer estação. Ele custa U$10 sendo que deste valor U$8 ficam disponíveis para utilização imediata. Você pode pagar com dinheiro em espécie ou com cartão de crédito internacional. Nao há guichês com funcionários nas estações, todas as máquinas você deve operar sozinho. Porém, caso tenha dificuldade há funcionários na estação para auxiliar.

smartrip_card2

O metrô aconselha os viajantes a pagarem U$14 por um daily pass. Eu veementemente não aconselho at all. Primeiro porque o metrô daqui funciona com um sistema de tarifas para o horário de pico e o horário normal. Sem contar que a tarifa não é um valor fixo como em São Paulo por exemplo. A tarifa é cobrada de acordo com a distância entre as estações e o horário que você passar na catraca quando embarcar será levado em conta para a cobrança da tarifa no momento que você desembarcar na sua estação final. As tarifas variam de U$1.75 fora do horário de pico a U$3.60 ou U$2.15 a U$5.90 no horário de pico.

Exemplificando

Se você embarcar no Jabaquara em São Paulo as 11 da manhã (não é horário de pico) e descer por exemplo na Vergueiro você pagaria U$2.15, mas se você descer no Carandiru paga U$3 (gente eu uso São Paulo como exemplo pois sou de lá).

Eu levei dois dias mais ou menos para me habituar ao sistema… depois ficou mais fácil. Em cada estação tem uma tabela com valores atualizados a partir da estação de onde você vai embarcar para todas as outras do sistema. Então caso seu cartão esteja sem crédito e você vai até a estação Smithsonian por exemplo e você está na estação Ballston vai dar mais ou menos uns U$2.20. Você só  tem que ir até a máquina e adicionar seu suado dinheirinho. Abaixo tem um mapa da malha metroviária de DC e arredores para vocês visualizarem melhor.

metro map

A grande maioria das atrações que você quer visitar em DC está na linha laranja/azul/prata entre as estações Foggy Bottom até Stadium-Armory. O Ronald Reagan National Airport é servido pelas linhas Azul/Amarela pela estação de mesmo nome. O melhor shopping da cidade está na linha Prata e fica na estação Tysons Corner e por aí vai.

A título de curiosidade para quem curte um mapa como eu, a estação Rosslyn é a primeira estação do estado da Virgínia para quem está vindo de DC. E do outro lado do Rio Potomac quem sai da Virgínia em direção a DC a primeira estação é a Foggy-Bottom.

Eu curto muito andar de metrô, apesar de eles estarem passando por um processo de reforma que vai durar um ano a contar do próximo sábado 04/06/2016. No metrô, você consegue prestar atenção no cotidiano das pessoas que realmente moram aqui e observar a interação dos Washingtonians com os turistas ou estrangeiros. Sem contar que é uma ótima oportunidade de se ver livre do estresse de dirigir num outro país. Eu particularmente não me sinto a vontade em virar à esquerda aqui, pois sempre acho que o carro que vem no sentido contrário vai bater no meu carro em cheio uma vez que em SP não viramos à esquerda…

Há também a opção de andar de bicicleta pelo sistema de compartilhamento de bicicletas igual ao que o Bradesco tem em São Paulo. Eu nunca usei, sei que tem um App que você  deve utilizar para liberar e você pode devolver em qualquer uma das estações que geralmente estão localizadas perto de algum ponto turístico principal da cidade ou outras estações do metrô. Talvez seja uma opção para aqueles que além de fazer turismo querem se exercitar.

Enfim espero ter dado uma luz sobre transporte e acomodação por aqui. Se tiver alguma dúvida deixe nos comentários.

 

À partir do próximo post vou começar a falar sobre o que vi por aqui e como agendar os passeios  =)

 

 

 

Compartilhe

Por Érica Brasilino

2

Pessoas comentaram