Categoria: Estilo de Vida

Documentação de Viagem Estilo de Vida Outros

Quando a viagem para o exterior pode se tornar uma dor de cabeça

12 de setembro de 2017

Este final de semana acompanhamos estarrecidos a força do furação Irma que desolou ilhas no Caribe e deixou mais de 6 milhões de pessoas na Flórida alagadas e sem energia elétrica. Milhões ainda estão fora do estado e o governador ontem a noite implorou que essas pessoas evitem voltar para casa, pois nem estradas estão preparadas para receber eles de volta como os serviços públicos ainda vão levar dias para voltarem ao normal.

E no meio de todo este caos tem os turistas. Se passar por uma situação dessas é uma dor de cabeça sem fim para quem mora aqui, imagina para quem está apenas de passagem.

Quando viajamos ao exterior, temos que tomar precauções, muitas vezes juntamos dinheiro por muito tempo para a viagem dos sonhos mas imprevistos acontecem. Desde uma pedra na vesícula no interior da Itália até óbito repentino (sim acontece com mais frequência do que você pode imaginar), podem tirar o sono dos familiares que ficaram no seu país de origem e muitas vezes sem dinheiro para poder trasladar o corpo do turista de volta ao Brasil. Mas como tentar resolver em partes este tipo de dor de cabeça quando viajamos?

Seguro Viagem

O primeiro e mais importante item de um viajante (profissional ou não) é o seguro viagem. A maioria dos cartões de crédito internacionais no Brasil oferecem o seguro de viagem caso o titular do cartão e a pessoa que irá utilizar a passagem sejam a mesma pessoa. Se o cartão oferecer, peça ao atendente que envie para o seu e-mail a apólice do seguro viagem e tenha a cópia impressa com você. Mesmo na era da tecnologia, cópias impressas ainda são mais aceitas em situações de emergência no exterior do que versões eletrônicas. Se o seu cartão não oferecer o seguro, recomendo que você entre em contato com o seu agente de seguros para que ele indique a melhor opção para você. O seguro viagem cobre desde custas médico hospitalares até traslado do corpo casa haja óbito. Acredite, em caso de falecimento no exterior, você estará ajudando e muito a sua família se por ventura algo aconteça. Acompanhei de perto dois casos de falecimento de brasileiros (um nos EUA o outro em Belize) e o trauma causado aos familiares que não tinham dinheiro para as custas  de transporte foram enormes.

Cópias de Documentos

Após cuidar do seguro viagem, indico que você faça cópias dos seus documentos. Passaporte, RG, CPF entre outros. Caso você tenha seu passaporte furtado ou simplesmente perca ele, você deverá contactar a missão diplomática brasileira mais próxima do seu destino de viagem e agendar um atendimento de emergência. Principalmente se você estiver fazendo aquelas viagens que pretende cruzar várias fronteiras, como na Europa.

Contatos no Exterior

E por falar em contactar a missão diplomática no exterior… sempre leve com você os telefones e endereços mais importantes. Neste caso o da missão diplomática brasileira mais próximo (consulado ou embaixada do Brasil), telefones dos cartões de crédito no exterior (muitos cartões como o AMEX oferecem uma linha telefônica que português no exterior), telefone e endereço do hotel onde vai ficar hospedado, telefone e nomes de contatos de emergência no exterior. Estes dados não devem estar apenas no seu celular, é importante manter uma cópia escrita na carteira ou na bolsa. Caso aconteça algo com você e por ventura você perca a consciência, é importante que um terceiro tenha acesso a estas informações para te auxiliar.

Informar roteiro de viagem para alguém de confiança

Uma das medidas mais importante em todas as viagens que faço, é enviar um e-mail para a minha mãe com todos os dados da minha viagem. Ela nunca abre estes e-mails… porque geralmente nós fazemos 13 cidades em 21 dias e passamos por 8 hotéis diferentes. Minha mãe não consegue entender nossa necessidade de pé na estrada. Porém ela tem lá o nosso roteiro com todas as informações detalhadas, onde estaremos a cada dia, telefone dos hotéis que pretendemos ficar, países onde faremos escalas e afins. Já atendi um caso no passado no meu antigo empregador que um brasileiro veio a óbito no Japão mas morava na Austrália. Quando descobriram o corpo, a mãe atônita jurava que não era o filho dela porque ele morava em outro país. Please… sempre informe alguém sobre o seu paradeiro.

Deixo abaixo a cartilha elaborada pelo Itamaraty explicando como obter um seguro de viagem e também o link deles com orientações gerais para quem vai viajar ao exterior. Vale a pena dar uma olhada.

Assistência de Viagem

Orientações Gerais Itamaraty

Claro que existem outras medidas de segurança, mas essas são as mais importantes quando viajamos para o exterior. Você cumpre algumas dessas medidas ou nunca parou para pensar sobre elas?

 

Compartilhe

Por Érica Brasilino

0

Pessoas comentaram

Estilo de Vida Outros

Mudança para o exterior – Devo encerrar minha vida financeira no Brasil?

08 de setembro de 2017

Uma pergunta que sempre respondo para meus amigos interessados em morar no exterior, é o que eu fiz com a minha vida financeira no Brasil. Há muitas dúvidas sobre encerrar tudo de vez ou manter a distância.

O primeiro passo e o mais importante de todos foi deixar com minha mãe uma procuração de plenos poderes. Ela pode resolver qualquer coisa pra mim, desde abrir e encerrar contas e até pegar um empréstimo em meu nome. Claro que minha mãe é a pessoa que eu mais confio no mundo, então confiança é fundamental. Caso você não tenha alguém que você confie cegamente eu o aconselho a deixar uma procuração limitada especificando por exemplo que essa pessoa pode apenas fazer uma coisa ou outra. Quando você vai ao cartório fazer a procuração, geralmente os atendentes são muito prestativos e te perguntam tudo o que você quer autorizar ou não.

Eu optei por deixar minha vida financeira e contas em aberto no Brasil. Por vários motivos. Primeiro porque minha conta tinha muitos anos e meu relacionamento com o banco é excelente. Como meu crédito é muito positivo com eles, seria besteira fechar a conta. Em segundo lugar eu quis manter um cartão de crédito no Brasil pois em datas comemorativas como aniversário, Natal e afins, eu posso usar meu cartão daí nos sites do Brasil e mandar entregar presentes para familiares e amigos e assim evitar pagar taxas internacionais por utilizar o cartão daqui.

Caso você não tenha interesse em pagar a cesta de serviços do seu banco, saiba que há uma lei brasileira que obriga TODOS os bancos no país a abrirem contas para pessoas físicas sem cobrança de taxa mensal. E foi exatamente o que fiz, conversei com o meu gerente na época e migrei a minha conta que era master plus mega blaster para a de Serviços Essenciais.

De acordo com o BCB – Banco Central do Brasil, não importa o banco, ele tem por obrigação de oferecer este serviço. O problema é que muitas vezes os gerentes não querem abrir essas contas pois elas não geram lucro para as instituições e o funcionário do banco não ganha pontos com a sua meta mensal de vendas. Veja no gráfico abaixo os serviços inclusos na conta de serviços essenciais.

Eu como sou precavida por natureza, imprimi a lei e levei comigo no dia que fui ao banco mudar a minha conta antes de sair do Brasil. Claro que o gerente tentou de todas as maneiras me mostrar as “desvantagens” de mudar a conta para uma com limitações de serviços. Mas eu já havia feito a lição de casa e deixei claro que só iria movimentar a conta pela internet.

É importante frisar que você não pode zerar essa conta. Eu deixo dinheiro nela rendendo na poupança e quando preciso enviar dinheiro para o Brasil eu envio da minha conta americana para a brasileira e de lá eu transfiro ou pago contas normalmente pela internet. Para quem mora fora é ainda melhor pois quando vou ao Brasil, não preciso usar a conta daqui para efetuar saques em moeda local e pagar taxas absurdas de saque internacionais.

Se você mantém sua vida financeira no Brasil é preciso lembrar que dependendo da quantidade de dinheiro enviada do exterior para o Brasil no período de um ano, talvez seja necessário declarar o Imposto de Renda e recolher os impostos. Tudo isso eu explicarei em outros posts.

Indico que antes de decidir mudar a cesta de pacotes do seu banco, dê uma pesquisada antes com a sua instituição bancária brasileira qual a melhor opção. Vou deixar abaixo alguns links sobre a conta de serviços essenciais.

Banco Central do Brasil

Serviços Essenciais Bradesco

Serviços Essenciais Itaú

Serviços Essenciais Santander

Serviços Essenciais Caixa

Serviços Essencias Banco do Brasil

Serviços Essenciais Citibank – Pesquisei o site do Citi sobre o pacote de serviços essenciais e não encontrei informações a respeito no site, porém como sou correntista deles, sei que eles aplicam a lei. É só levar a lei impressa até sua agência e em minutos a conta é modificada. A lei pode ser encontrada neste link aqui. E também neste artigo do Hora 1 entre milhares de outros artigos na internet a respeito.

Boa sorte!

 

 

 

 

 

 

Compartilhe

Por Érica Brasilino

0

Pessoas comentaram

Estilo de Vida Outros

Ensino à Distância – EAD

01 de setembro de 2017

Você já considerou voltar a estudar, mas por algum motivo pensa ser impossível? Tanto pelo deslocamento, como pelo bebê recém-nascido que você não tem com quem deixar? Ou até mesmo por morar num país inóspito onde não tem nada para fazer no dia a dia (conhece alguém que passou por isso?), então que tal agregar conhecimento e manter o cérebro ativo?

Pois bem… quando mudamos para o Togo eu sabia que trabalhar na economia local seria bem difícil, uma vez que os valores salariais eram infinitamente menores do que os oferecidos no mercado brasileiro e com quatro funcionários dentro de casa cuidando de tudo, eu não tinha praticamente nada para fazer o dia inteiro, além de cuidar da Bella ou ir para a academia (uma vez na vida outra na morte porque a preguiça sempre falava mais alto, claro).

Após considerar as minhas alternativas, decidi voltar a estudar. Sou comissária de bordo por formação (técnica) e nunca atuei na área. Enquanto eu decidia se eu largava meu emprego de segunda a sexta que pagava bem no Consulado e corria atrás da aviação, conheci meu noivo, que mesmo não sendo da aviação, virou meu mundo de cabeça para baixo e me fez viver com a mochila/casa nas costas pulando de país em país a cada dois anos. Como ainda faltava a lacuna do diploma universitário a ser preenchido, decidi que o EAD no Brasil seria minha melhor opção. Tanto pelo diploma, como pela oportunidade de me dedicar 100% aos estudos e a desculpa de ir ao Brasil duas vezes ao ano para fazer provas (mentira, vou mesmo para comer feito louca, comprar feito doida, e abraçar familiares e amigos hahahahaha).

Hoje vejo que o EAD ainda é tabu para milhares de pessoas que sem tempo, mas com internet em casa, ainda relutam em optar por esta modalidade de ensino. Primeiro mesmo que você tenha uma vida maluca como a minha, você sempre tem uma hora do seu dia disponível para usar o Facebook. Ao invés de logar lá, faça o login no site da faculdade e leia a matéria uma hora por dia. Eu estudo Eventos na Anhembi Morumbi. Não seria a minha primeira opção de curso se eu estudasse presencialmente, mas confesso que me apaixonei pelo curso (apesar de ter umas matérias do capeta que eu odeio). Provas para acesso a universidades pagas no Brasil, vocês sabem que não são nenhum monstro, e eu já era ex aluna deles, então do Togo mesmo eu fiz a minha reabertura de matrícula. Paguei o boleto online e voilá, já estava matriculada novamente.

Você tem acesso a plataforma e a quatro unidades (enormes) de cada matéria após a matrícula.

Dentro de cada unidade é disponibilizado para o aluno o material para ler e estudar, vídeos complementares postados pelos professores para ilustrar algum ponto da matéria, games com perguntas e respostas que testam o seu conhecimento sobre aquela unidade, e por fim cada unidade tem sua atividade obrigatória valendo nota que pode ser um fórum onde você deve interagir com o professor e os colegas de “classe” sobre um tema proposto dentro do conteúdo ensinado, podem ser perguntas de múltipla escolha ou até mesmo uma outra tarefa como visitas a eventos e desenvolvimento de conteúdo explicativo sobre o evento visitado, etc.

Antes de realizar cada atividade você pode enviar perguntas para o professor no fórum correspondente de cada matéria, onde o professor responde as suas dúvidas e você tem também acesso as perguntas dos outros alunos para poder ler e estudar. Há também vídeo aulas ao vivo, onde o professor pré-determina uma data e hora para o encontro e faz um resumo da matéria, e você pode interagir com os colegas e os professores enviando perguntas. Caso não seja possível assistir aquela aula ao vivo elas ficam disponibilizadas na plataforma para acessar no dia seguinte.

A frequência é medida através da quantidade de atividades que você envia no prazo determinado pela faculdade e a prova final presencial é obrigatória para aprovação por nota e presença. Confesso que no inicio eu tinha medo de não dar conta ou de gastar dinheiro em vão num sistema que fosse mentiroso/enganador. Mas a faculdade me surpreendeu. Tanto que após este curso eu já sei qual pós vou fazer no mesmo modelo de ensino. Gostei tanto do EAD que já estou realizando um outro curso que nada tem a ver com a faculdade simultaneamente online.

A faculdade online pode ser a solução dos seus problemas, como falta de tempo, dinheiro (o EAD geralmente é mais barato do que o presencial), deslocamento, falta de babá para o seu bebê, viagens frequentes a trabalho, enfim, milhares de empecilhos que possam surgir e não permitir que você volte a estudar. Hoje eu sou defensora desta modalidade de ensino e acredito que seja importante falar à respeito para que as pessoas percam o preconceito contra o EAD.

Vale lembrar que nada são flores e você precisa controlar seu tempo e sua agenda e encontrar tempo para o estudo. Mesmo organizando uma mudança e passando pela loucura de mudar entre dois continentes, eu estou firme e forte no estudo. Você precisa ter uma agenda e seguir um cronograma à risca. Eu geralmente dedico de 2 a 4 horas por dia para estudar, porque não é apenas ler a matéria, mas o ensino a distancia você deve buscar o conhecimento, então tem que pesquisar palavras que você não entenda na apostila, buscar exemplos extra na internet, etc., mas no fim conhecimento é a única coisa que nunca podem tirar de você.

 

E você, já fez algum curso a distancia? Como foi a sua experiência?

Compartilhe

Por Érica Brasilino

0

Pessoas comentaram

Compras Estilo de Vida

Planner – Você precisa de um?

22 de agosto de 2017

No mundo atual onde o celular praticamente substituiu um grande número de objetos, entre eles a calculadora, a máquina fotográfica, o despertador, mesmo o aparelho sendo dotado de agenda, eu desisti de usar a do telefone e uso um Planner. Mas o que seria um planner e para que ele serve?

Planner ou planejador em tradução livre é um caderno/agenda/ferramenta que ajuda você a manter a sua vida organizada. Eu utilizava a agenda e o bloco de notas no celular, mas mesmo assim não conseguia me organizar. Quando minha comadre Christiane foi me visitar no Togo, ela me deu uma aula particular sobre o One Note da Microsoft. Eu achei o App fantástico, baixei a versão para o MacBook mas mesmo assim faltava algo. E o que faltava? ESCREVER!

Como eu curto escrever, para mim ter um caderno a mão era essencial. E comecei a pesquisar modelos de Planners para organizar não apenas as idéias que eu tenho para o blog, mas para organizar os meus estudos da faculdade e de um outro curso que eu inventei fazer agora no Brasil. Sem contar que eu preciso organizar as tarefas da casa, a vida do gato, as receitas para o cardápio da semana. Ser dona de casa/estudante/blogueira/esposa não é fácil, e ter uma ferramenta como o planner à mão fazem uma grande diferença se você é uma pessoa visual como eu sou.

O meu é da Ashley G pra Blue Sky. Comprei na Staples e estou adorando ter um planner. Além de ser uma mão na roda para anotar coisas rapidamente, consegui me organizar melhor para dividir o meu dia entre os estudos da faculdade, do curso de maquiadora e cuidar da casa. Sem contar que acabo economizando bateria do celular uma vez que não fico olhando ele a todo instante para verificar a minha agenda do dia ou o bloco de notas e depois entrar no Facebook e perder horas a fio que poderiam ser utilizadas otimizando o meu dia. Ponto para o planner.

Pesquisei no Brasil sobre planners e aparentemente eles começaram a ser vendidos por ai. Vi umas empresas que fazem uns lindinhos e que você pode inclusive personalizar de acordo com as suas necessidades. Mas prepare o bolso, eles não são tão baratos. Essa é apenas uma idéia de algo que uso e acho que vale a pena recomendar. Os planners personalizáveis contém refis de acordo com o perfil de cada pessoa como dieta, exercício físico, estudantes, profissionais, professores. Vale a pena pesquisar um de acordo com os seus gostos pessoais ou verificar no Pinterest como montar um DIY (faça você mesmo).

Deixo abaixo indicações de três sites que eu encontrei enquanto pesquisava para poder escrever este post. Um é o blog da Bruna Bezerra que curte fazer o planner dela por conta própria e além disso ela é uma fofa e deixa uns freebies disponíveis para download caso você não seja uma pessoa tão criativa (meu caso). O blog dela é o Através da Linha. E também me apaixonei pelos planners vendidos no Brasil pela A.Craft e a EverTop. Quero um de cada marca.

E você, como faz para organizar o seu dia?

Compartilhe

Por Érica Brasilino

2

Pessoas comentaram

Estilo de Vida

Porquê desisti do cabelo encaracolado?

11 de agosto de 2017

Já fui enrolada, lisa, loira, morena, ruiva. Hoje voltei para a progressiva… e algumas pessoas me perguntam o porquê…

Quero meu cabelo de volta!

Primeiro… honestamente nunca foi a minha intenção deixar de fazer parte do time das alisadas. Aconteceu única e exclusivamente porquê ano passado quando estávamos de mudança para a África eu sabia que não conseguiria encontrar por lá o tratamento que eu estava habituada a fazer. As mulheres africanas não tem a mesma textura de cabelo que nós deste lado de cá do oceano e eu não queria ficar com o cabelo pela metade (raiz enrolada e ponta lisa). Eu não tenho essa paciência que as meninas têm de esperar o cabelo crescer e fazer texturas durante este meio tempo para passar pelo processo de transição. Eu tiro o meu chapéu para as meninas que fazem isso diariamente. É uma luta. Quando meu cabelo estava exatamente do jeito que eu sempre quis (foto acima), manter ele daquele jeito me custava cerca de 100 reais para colorir + 300 reais em média para a progressiva a cada 90 dias. Quando chegamos nos EUA todos os lugares que eu fui (meu noivo pacientemente me levou em dezenas e teve de lidar com a minha frustração ao ouvir sempre as mesmas respostas) queriam me cobrar 500 dólares somente para a progressiva. E nem era a progressiva mas o que eles chamam de queratina. Aqui não se faz progressiva e encontrar um latino ou brasileiro que faça é um parto. Faltando 30 dias para a nossa viagem para o Togo eu fiz o primeiro corte…

Eu sabia que era uma medida paliativa e que eu teria de encarar o problema de frente… mas a cabeleireira ficou com medo de eu me arrepender e depois processar ela… (aqui é a terra do processo). Este corte pra mim não foi tão drástico porque eu já tive este mesmo corte muitas vezes, então pra mim foi natural. Até que faltando alguns dias para viajar de vez para a África me enchi de coragem e fiz o famoso BC (big chopp):

Não vou mentir… não foi nada fácil lidar com os sentimentos conflitantes que passaram pela minha cabeça após cortar o cabelo. Eu não me sentia feminina, eu sentia falta de passar a mão pela minha cabeça e sentir toda aquela imensidão de cabelo que eu sempre tive. Sem contar que este tipo de corte pede que você gaste mais tempo com maquiagem e acessórios uma vez que o cabelo não está mais em evidência e sim o seu rosto. O Ezio foi um fofo durante todo o processo e sempre me assegurava de que me ama de qualquer maneira, com qualquer cabelo, de qualquer jeito. Meus amigos incentivadores e sempre mencionaram o quanto eu era louca ou corajosa e isso me animava a não chorar todos os dias com saudades do meu cabelão. Ao chegar no Togo confesso que gostei de ter tomado a decisão do cabelo curto. Além de fazer um calor absurdo por lá na casa dos 47C, a água também mudou a textura do meu cabelo.

Quando meu cabelo começou a crescer foi que as coisas começaram a complicar… o cabelo encaracolado precisa de muito tempo para deixar ele no lugar. Claro que como eu no momento estou num período sabático, isso não é um problema. O problema é que eu não tenho saco. Foi aí que me lembrei o motivo pelo qual eu optei pela progressiva quando eu tinha 19 anos de idade:  PRATICIDADE. Eu não tenho paciência para cuidar de cabelo, gosto de coisas práticas e rápidas. Sem contar que ao acordar, eu parecia o Ravengar de tão armado que ele estava. Quanto mais meu cabelo crescia, mais eu fazia uso de faixas, lenços, bandanas, presilhas. Mas tem dias que você tem que sair correndo e/ou acordou atrasada… e ai como fica? Usar turbantes na África é fácil… eu não sei como é usar eles no Brasil, nos EUA, ou em outros lugares… e honestamente… eu já gosto de maquiagem às 5 da manhã… eu não sei se quero chamar a atenção pelo combo maquiagem + turbante num dia que meu cabelo não estiver legal. Mas essa sou eu, se alguém estiver lendo e fizer isso eu acho ótimo. Cada um de nós sabemos até onde vai os nossos limites.

Enfim… estes foram os motivos pelos quais eu voltei ao time da progressiva. Isso é muito pessoal e vai de pessoa para pessoa. Tenho amigas que desistiram da progressiva e estão lindas com seus cachos ao vento e super se adaptaram. Quem sabe um dia eu me adapte. Hoje a minha vontade de voltar á química falou mais alto e eu fiz no Brasil e já estou pesquisando lugares para continuar fazendo aqui. Sei que vai levar um tempo para o meu cabelo voltar a ser o que era na primeira foto deste post, mas não estou com pressa. Se amanhã eu cansar do visual liso, volto a cortar. Eu não tenho problemas com grandes mudanças. E acho que o bacana hoje em dia é ter a liberdade de poder ter o cabelo que a gente quiser e bem entender, sem ter que dar satisfações para ninguém. Se você cansou da progressiva, faça a transição capilar, se cansou da transição, volte para a progressiva. Você só deve satisfações para você mesma.

Feliz, sendo escrava da química novamente 🙂

Compartilhe

Por Érica Brasilino

2

Pessoas comentaram

Estilo de Vida

Organizadores

23 de maio de 2017

Como vocês já devem ter percebido, eu sou a louca da organização. Preciso de listas para tudo na minha vida. Tanto que todos os meus compromissos são anotados no calendário do celular e sincronizados com o computador e o iPad para garantir que não deixarei de fazer nada.

Uma das minhas últimas aquisições, foram dois pads Knock Knock a venda na Amazon. Você encontra pads para todos os tipos de situações do seu dia a dia, desde: quais são seus objetivos diários e semanais, tarefas a serem cumpridas (ok… neste caso eu não preciso comprar um pad, eu uso o App Lembrete da Apple), organização da casa (quem vai fazer o que), diário alimentar, lista de mercado, etc. Tem tantas coisas legais que os aficionados por papelaria como eu inventarão uma desculpa para comprar alguns.

Claro que tem uns no site que não valem a pena: como o paper voodoo (sério!!!), tem até um que você pode listar as porcarias que você tem feito na sua vida. Porém entre estes non sense, acabei comprando dois, que pra mim são bem interessantes.

IMG_4555

This Week Pad

O pad acima seria o This Week. Comprei ele para organizar as tarefas semanais que a  nossa ajudante Bernice tem para fazer pela casa. Geralmente às sextas feiras eu preencho o da semana seguinte e já deixo fixo na porta da geladeira. Deixo anotado o cardápio da semana que ela cozinha às segundas, quartas e sextas e também deixo anotado se vamos ter algum acontecimento extraordinário na casa, como receber algum amigo nosso para jantar ou outra coisa do gênero. Quando viajamos mês passado, deixei anotados os dias de medicação da Bella (nossa filha felina), algumas tarefas de limpeza sazonais como lavar cortinas, limpar armários, etc. É uma mão na roda.

IMG_4556

Pack This Pad

Já o segundo pad que eu comprei (e o que eu mais gostei) é o Pack This Pad. Seria basicamente a lista mais que perfeita para você poder organizar sua mala de viagem. Simples, porém contém praticamente tudo o que eu comentei no post Como montar uma lista de viagens. É muito comum nós esquecermos uma coisa ou outra numa viagem, mas com uma lista dessa em mãos fica muito mais fácil se preocupar apenas com a viagem em si.

E você, curte artigos de papelaria ou montar listas de afazeres?

Até o próximo post  =0)

 

 

 

Compartilhe

Por Érica Brasilino

1

Pessoas comentaram

Estilo de Vida

Chatbooks

19 de maio de 2017

A primeira vez que ouvir falar sobre o Chatbooks, foi num post no Facebook da minha amiga Juliana Vitezi do Ela Disse. Ela postou um vídeo hilário que eles postaram nas redes sociais falando sobre os mini livros que eles produzem com as fotos do Instagram. O comercial é tão sensacional que mesmo ele sendo enorme você não consegue parar de ver. Confira o vídeo aqui.

O Chatbooks promete ser ágil na produção de fotolivros, uma vez que somos todos pessoas muito ocupadas. Há um App que você pode baixar para o seu smartphone e em questão de segundos ele compila sua coleção de fotos do Instagram e por míseros U$12 você recebe em casa fotos lindas e com aparência profissional.

img_4534.jpg

Não sei dizer nada sobre o App, já que eu fiz o upload pelo site, uma vez que utilizei as fotos diretamente da minha câmera ao invés das fotos do Instagram. Por dois dias seguidos escolhi as fotos e fiz o upload para a conta criada no site deles. Mas devo mencionar que moro na África e minha conexão de internet não é das melhores, não chega nem a 3G. Talvez se você estiver num país com conexão decente, você não gaste dois dias inteiros como eu. Não desisti pois sou teimosa e eu queria muito as fotos da nossa última viagem de férias impressas.

Por U$28 fiz o upload de 70 fotos mais o frete e fiz um álbum de fotos personalizado da nossa viagem à Mauritius no mês passado. Esperei ansiosamente por quase 4 semanas (acredito que em grandes capitais do lado dai do oceano a demora não seja tão grande…) e quando chegou, mal pude conter a emoção.

img_4536.jpg

O álbum é de alta qualidade, a capa é macia ao toque e as paginas são confeccionadas em papel de qualidade superior. Sem contar que as fotos tiradas com o iPhone, caso o seu GPS esteja no modo on, puxa a localização geotag de onde você tirou cada foto e você pode optar por adicionar essa informação ao álbum. Ficou bacana, pois organizei as fotos por dia e em sequência. Fiquei impressionada com o trabalho deles. Paguei a mais pois escolhi um layout diferenciado dos que são anunciados na promoção mas não me arrependi. Honestamente irei encomendar outros álbuns com eles pois sou fã de fotos impressas.

Vale lembrar que é importante você tirar suas fotos em alta qualidade. Como utilizei 90% do tempo na viagem minha Cânon DSRL profissional, a qualidade das fotos impressas ficaram muito boas. O Chatbooks é uma excelente opção de presente.

Não sei quanto ele está sendo cobrado no Brasil, mas vale a pena pesquisar. O site deles é Chatbooks.

Até o próximo post 🙂

Compartilhe
Tags:

Por Érica Brasilino

3

Pessoas comentaram

Estilo de Vida Livros

Como organizar a sua casa e viver com menos?

24 de março de 2017

Quando passei por São Paulo no último mês de agosto, minha amiga carioca Juliana do Ela Disse foi me visitar na cidade. Como boa anfitriã que sou, levei a Ju para o Conjunto Nacional na Paulista e lá demos uma passadinha pela Livraria Cultura. E no meio de tantos livros legais nos deparamos com o livro Reorganize a Sua Casa da Geralin Thomas. Como estava de mudança, o livro veio no momento certo. Ele dá dicas preciosas de como organizar melhor cada cômodo da sua casa para ter uma vida melhor, uma casa mais organizada e ter mais prazer de viver nessa casa. Não pensei duas vezes e comprei o livro mesmo com a mala já abarrotada de coisas para trazer para Lomé vinda de Washington DC. Eu sempre fui compradora compulsiva então organizar uma mudança não foi tarefa das mais fáceis. Quem não gosta de uma liquidação?

2406

Os Delírios de Consumo de Becky Bloom.

Quando estava organizando minha primeira saída do Brasil tive de me desfazer de itens que tinha acumulado durante minhas viagens aos EUA. Com a idéia de que talvez fosse demorar a voltar lá eu sempre comprava compulsivamente. Eu tinha caixas e caixas com itens fechados em casa de maquiagem, cremes para o corpo, cremes de cabelo, cabides, material de escritório e mais um monte de coisas que quando chegamos no Walmart da vida achamos que precisamos e compramos no impulso. Doei várias coisas para a minha mãe e o que não dei pra ela decidi colocar a venda no meu FB. Minhas amigas fizeram a festa e eu fiz uma graninha extra. Aproveitei também para doar peças de roupa que eu não usava a mais de uma estação (convenhamos se não usei até agora… não tinha porque fazer peso na minha mala…).

como-organizar-o-guarda-roupas-e-como-ganhar-dinheiro-com-roupas-e-acessórios-usados-10

Sex and the City

Ao chegar no Togo recebemos cerca de 200 caixas na mudança. Foi uma loucura. Tinham coisas que não víamos desde 2014 quando empacotaram nossas coisas pela primeira vez. Cada caixa aberta era uma surpresa porque honestamente haviam coisas que eu nem lembrava mais que tínhamos. Como eu ja tinha finalizado a leitura do Reorganize a Sua Casa, eu já estava preparada para me livrar de muitas coisas. Doamos muitos itens para a nossa ajudante e para os vizinhos. O livro oferece planilhas que ajudam você a determinar o que realmente é necessário e o que você está guardando apenas por guardar. Confesso que eu consegui liberar muito espaço mas ainda estou tentando doar mais coisas do marido, uma vez que como todo americano, ele adora comprar e acumular.

Livro-Reorganize-a-Sua-Casa-Dicas-Tecnicas-e-Segredos-Profissionais-Geralin-Thomas-8107946

A autora também tem uma página (em inglês), a Metropolitan Organizing, onde ela dá dicas e disponibiliza gratuitamente várias outras planilhas para ajudar na sua organização. É especialmente legal para recém casadas que de repente precisam criar uma rotina para dar conta de tudo e não sabem por onde começar. É uma boa idéia adaptar para a sua realidade e incluir a família na ajuda para manter a casa em ordem.

E você, tem alguma dica de livro, site, planilha, para compartilhar?

Até o próximo post  =0)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhe

Por Érica Brasilino

2

Pessoas comentaram