Estilo de Vida Gatos Outros

Pet Sitter – Babá para animais

26 de setembro de 2017

Você tem animais de estimação? Já deixou de viajar porque não tinha com quem deixar o seu animalzinho? Ou sempre que vai se ausentar, precisa pedir favores para amigos e familiares para ter a certeza que seu bichinho será bem cuidado?

Minha Bella mais bela

Pois essa semana precisei me ausentar de casa por quase uma semana e estava desesperada com o que eu faria com a Bella. Como surgiu a oportunidade de vir para NY enquanto meu esposo trabalhava, fiquei no impasse de vir me divertir ou ficar em casa com a minha gatinha. Por morarmos longe dos nossos familiares e não estarmos mais na África onde tínhamos empregada, fiquei aterrorizada com a viagem iminente e a ideia da Bella ficar sozinha e desamparada em casa.

Após muito considerar… decidi contratar uma Pet Sitting Company que foi indicado por várias pessoas do trabalho do meu esposo. Eles têm um site onde você faz um cadastro e responde um questionário enorme sobre você, sua casa e seu animalzinho. Após o cadastro abre uma pagina com a agenda e você solicita o serviço para os dias e a faixa de horário que você achar mais conveniente. Após este cadastro inicial, a empresa entrou em contato comigo para confirmar os dados e disse que a sitter designada para o meu bairro entraria em contato após a confirmação do serviço para agendarmos uma “consultation” antes da minha viagem. No dia e horário combinados, conheci a Diana. Ela foi bem profissional e simpática e fez várias perguntas sobre a Bella, os hábitos dela, horários de refeição, onde guardamos a comida, quantas vezes deveria trocar a areia e etc… Após nossa entrevista com muito cuidado levei ela até o meu quarto onde a Bellinha estava escondida na minha cama embaixo do edredom. Ela é muito medrosa e quando ouve vozes de quem não conhece ela se esconde no mesmo momento. A Diana conseguiu ver a Bella por 3 minutos, o suficiente para minha gatinha cheirar a sitter e sumir.

Como viajei na terça, após várias pesquisas em blogs aqui da gringa, decidimos que a Bella poderia ficar dois dias sozinha em casa com água e comida e que iríamos agendar a sitter para um dia sim dois não. Então a princípio a Diana ficou agendada para a sexta. Como voltamos no sábado a noite, pelas minhas contas ficaria tudo bem. Mas como sou mega preocupada com o bem estar da minha gatinha, na quarta a noite contatei a Diana por SMS e perguntei se ela poderia antecipar a visita a minha casa. Ela prontamente reagendou para um dia antes do programado a visita e na quinta feira ela foi lá em casa.

Enfim, ela disse que a Bella tinha comido toda a ração molhada e tinha comido metade da ração seca. Ela também bebeu água e usou a areia dela normalmente. Fiquei aliviada. Minha maior preocupação era que ela parasse de comer por estresse ou por depressão por estar sozinha, mas aparentemente ela estava bem. Também tem o fato de ela ter ficado em casa no ambiente dela e não mudando de hotel em hotel por três semanas como fizemos em junho. Claro que o ideal seria ter um pet sitter disponível todos os dias durante a viagem, mas é um serviço relativamente caro. Vou deixar algumas dicas caso você considere contratar este tipo de serviço para a sua próxima viagem.

Contrate uma empresa/pessoa de confiança que venha com referências. Optei pela Fetch! Pet Care que atende muitas áreas dos EUA e honestamente estou muito satisfeita com o serviço deles. Eles estão super habituados a trabalhar com diplomatas uma vez que viajamos muito e muitos de nós temos animais de estimação. Foi uma indicação de vários outros colegas do corpo diplomático. A Fetch! oferece sitters que tem os antecedentes criminais checados e também é uma empresa com seguro, caso qualquer coisa aconteça é muito mais fácil processar eles ou acionar o seguro. Eles também enviam o contrato de prestação de serviços por e-mail onde todas as informações de segurança estão lá disponíveis caso surja alguma dúvida.

Um dos benefícios do pet sitter, é que o seu bichinho vai ficar na casa dele. Não terá o estresse de ir para um hotel e ficar com outros animais. No caso da Bella além de ela ainda não ser castrada, ela não teve contato com outros animais desde os 2 meses de vida. Ela ficaria mais estressada ou até doente. Sem contar que muitos hotéis para animais não aceitam os que não são castrados como ela.

Comunicação é primordial. Explique para o sitter quais são as necessidades do seu animalzinho, onde você guarda comida, areia, treats, brinquedos. Quantas vezes a areia deve ser trocada, onde estão os sacos de lixo para as fezes do animal, ele/ela toma alguma medicação? Onde fica esse remédio, qual a dosagem e quantas vezes por dia/semana? Além de mencionar tudo isso na entrevista/consulta, deixe anotado para o sitter essas informações em local visível. Se na correria da viajem, você esquecer, mande um SMS para o sitter relembrando ele/ela de tudo.

Certifique-se de que os valores acertados estejam de acordo com os serviços/dias prestados. Geralmente nos finais de semana, feriados ou após as oito da noite, a tarifa costuma ser maior. Tenha certeza do que você esta pagando antes do sitter comparecer a sua casa. Nós acertamos $20 cada visita de 15 minutos. Não precisamos de mais tempo que isso uma vez que a Bella NUNCA irá aparecer para interagir com a sitter. Na primeira visita a Diana achou ela escondida atrás da nossa cama e quando a Diana finalmente a encontrou, claro que a Bella fez que ia atacar. Ohh boy!

Para feriados e datas comemorativas, indico que você faça reserva com antecedência. Assim que souber sua data de viagem, já reserve. Natal e férias escolares são as datas mais concorridas para este tipo de serviço.

Lembre de deixar um contato de emergência com a sitter ou a empresa. Pode ser tanto o veterinário de confiança do seu bichinho como um parente próximo que more perto (amigo também serve).

Combine como será a entrega da chave para o serviço. Como temos serviço de concierge no nosso prédio, deixamos a chave com a recepção e eles ficaram responsáveis de guardar a chave em segurança para nós. Eles sabiam o dia e horário que a Diana ia passar lá em casa, como eu troquei os dias no meio da viagem, eu liguei na recepção do nosso prédio para dar novas instruções. Ela teve acesso sem maiores problemas.

Após arranjar o serviço, entrevistar a sitter e organizar a casa para a sua viagem, não esqueça de deixar comida, areia e medicação o suficiente para a sitter não ter que se preocupar.

Viaje com paz de espírito sabendo que o seu animalzinho, que faz parte da sua família esta em boas mãos e na casa dele.

E você como faz com o seu animalzinho quando precisa viajar?

Compartilhe

Por Érica Brasilino

0

Pessoas comentaram

Post anterior:


Próximo post:


Comente via Facebook

Deixe seu comentário