Posts arquivados em: Mês: Janeiro 2017

Documentação de Viagem Estilo de Vida Outros Viagens

Como montar uma lista de viagens

31 de Janeiro de 2017

Para uma viagem sem stress hoje vou compartilhar com vocês minha lista de viagem. Sempre tenho a mão quando vou montar minha mala, tanto para um final de semana prolongado em outra cidade ou para uma mudança entre continentes que pode levar 60 dias com temperaturas variadas no meio do caminho (sim… entre nossa mudança de D.C em agosto passando por Miami em pleno verão no hemisfério norte + passagem de um mês por São Paulo no pico do inverno + chegada em Lomé na África no verão que nunca acaba) ter uma lista pode salvar a sua vida e evitar esquecer itens primordiais.  Seja a mala de mão ou a mala despachada acomodar tudo na sua bagagem é mais simples do que parece. Fique à vontade para imprimir quantas cópias quiser e tornar a sua vida mais leve e fácil.

 

Bagagem de Mão

– Itinerário de Viagem (datas de chegadas, check ins, check outs, destinos)

– Número de confirmação da reserva do vôo/ônibus/trem e do assento

– Nome, endereço e telefone dos hotéis + confirmação da reserva

– Cartões de débito e crédito. Lembre de entrar em contato com o banco informando sua viagem caso seja para o exterior para evitar ter o seu uso bloqueado. Leve também o número de telefone da central dos seus cartões no exterior para uma emergência. O Citibank por exemplo oferece atendimento em português nos EUA

– Passaporte com mais de seis meses de validade caso esteja saindo do Brasil, visto para o país de destino, telefone e/ou endereço da embaixada ou consulado do Brasil no local de destino. Vai por mim, mesmo que você acredite que nada pode acontecer e rezamos para que isso seja verdade, leve estes números e/ou endereços com você.

– Cartão do seguro viagem ou cartão de cobertura estendida do seu plano de saúde. Muitos cartões de crédito internacional oferecem cobertura no exterior para quem comprar a passagem para aquele destino com o próprio cartão. Antes de gastar dinheiro para comprar um seguro de viagem verifique se há essa opção habilitada e oferecida pela sua empresa de crédito

– Carteira de motorista e/ou Permissão Internacional para Dirigir (PID). Caso sua viagem seja maior que 6 meses alguns países exigem a PID. Super fácil de solicitar verifique no site do Detran da sua cidade o tempo para expedir a sua. Para pessoas registradas em São Paulo acesse o link aqui.

– Medicamentos Prescritos. Caso seja usuário de alguma medicação contínua e necessite levar uma quantidade muito grande de remédio, vá até o seu médico e peça uma receita onde explica quantos remédios usa por dia e quantos serão necessários para o tempo de sua estadia no destino. Evite dores de cabeça com o departamento de narcóticos local.

– Lentes de contato, óculos de leitura, óculos de sol

– Telefone, iPod, iPad, e-reader, notebook e seus respectivos carregadores. Leve um adaptador universal se for o caso. O Brasil é o único país a utilizar o sistema de três pinos (sim… eu sei… é ridículo)

– Gel desinfetante para mãos ou toalhas umedecidas para limpeza. Vai por mim… o banheiro do avião após 5 horas de vôo é o local mais nojento da aeronave

– Cinto para guardar dinheiro. Pode parecer coisa de gente neurótica, mas é a melhor maneira (ainda) de proteger seu suado dinheiro de ser visto por pessoas mal-intencionadas no aeroporto

– Garrafa de água (já viu quanto custa uma água descartável no aeroporto??)

– Barra de proteínas, chocolates, balas, chicletes (a espera pode ser mais longa do que você imagina).

– Revistas ou livros (pelo mesmo motivo acima)

– Envelope para recibos caso precise de reembolso da empresa

– Chaves de casa e do carro (saiba onde estão para não se estressar no retorno para casa)

– Bilhete de estacionamento do aeroporto (guarde com a sua vida, você precisará dele na volta)

– Cadeado e chaves da bagagem despachada

– Etiquetas para bagagem despachada

Mala Despachada

– Sutiã

– Calcinha/Cueca

– Meias

– Pijamas

– Sandálias

– Calçados

– Tênis

– Botas

– Chinelos

– Calças

– Saias/Shorts

– Jeans

– Maiô/Biquíni/Sunga

– Chapéu/Boné/Viseira

– Sacola de praia

– Blazer

– Cardigã

– Echarpe/Lenço

– Jaqueta

– Casaco

– Capa de Chuva

– Blusas

– Vestidos

– Camisetas/Camisas

– Tops

– Cachecol

– Gravatas

– Toucas

– Luvas

– Cintos

– Mochila

– Bolsa pequena

– Sacolas de plástico

– Guarda chuva

– Jóias

– Balança para bagagem portátil

 

Cuidados Pessoais

– Lâmina + Creme de Barbear, loção pós barba, colônia, perfume

– Hidratante, removedor de maquiagem, água miscelar

– Protetor Solar, protetor labial, cosméticos (batom, lápis, sombra, máscara para cílios e qualquer outro item que seja indispensável para você)

– Escova e creme dental, fio dental, enxaguante bucal

– Solução para lentes de contato

– Sabonete, xampu, condicionador, creme de hidratação ou leave in, desodorante, loção pós sol, cotonetes, algodão, escova/pente de cabelo, absorventes, cortador e lixa de unha, pinça, secador de cabelo, chapinha, baby liss, prendedores de cabelo

– Medicamentos para dor de cabeça, enjôo, febre, dor no corpo, vitaminas, analgésicos, repelentes, itens de primeiro socorro

 

Extras

– Saco para roupa suja

– Sabão em pó para viagem

– Detalhes de contato dentro de todas as malas despachadas

Lembrando que essa e uma idéia de como montar sua mala… não estou afirmando que é a maneira mais correta, claro que a partir de listas assim lembramos de algo que talvez seja primordial levar e eu não citei aqui. E você acrescentaria algo a lista? Compartilha comigo o que esta faltando aqui para aprimorarmos juntos e viajarmos menos estressados com os preparativos.

 

Até o próximo post  =0)

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhe

Por Érica Brasilino

1

Pessoas comentaram

América EUA O que fazer em Washington DC Viagens Washington

International Spy Museum

27 de Janeiro de 2017

Uma das poucas atrações pagas de Washington quando se trata de museus, o International Spy Museum vale cada centavo do seu suado dinheiro convertido para Obamas (vou sentir falta dessa expressão a partir de janeiro hahahaha). Este museu privado hoje abriga a maior coleção de artigos de espionagem em exibiçãs no mundo. Caso você seja fã de James Bond e companhia ltda visite sem moderação.

Localizado na estação do metrô Gallery Place, eu aconselho que você visite este museu com tempo. Chegamos lá após às 3 da tarde e infelizmente tivemos que correr para sair do museu e não tínhamos visto tudo.

No início da exposição você é guiado para uma sala onde eles fazem um “briefing”. Você deve escolher uma identidade dentre as várias que estão disponíveis e deve decorar o máximo de informações possível sobre aquela pessoa. De agora em diante durante toda a visita você não é mais você e sim aquela identidade que escolheu. Nome, idade, estado civil, local de nascimento… E por toda a exibição haverá checkpoints onde você será questionado detalhes que deve ter decorado sobre sua nova identidade… tudo isso para no final da exposição você descobrir se é um bom espião ou não. Foi bem interessante aprender que espiões tem um motivo para viverem uma vida de mentiras.

Na galeria School for Spies o museu apresenta sua coleção com mais de 200 itens entre eles  armas, veículos, batons com câmera escondida e uma vasta coleção de histórias de espiões no mundo real.  Na galeria History of History você aprenderá sobre os primórdios da espionagem, desde o Cavalo de Tróia aos dias atuais. Como os códigos secretos foram inventados e como o primeiro código da história foi decifrado. Estas são apenas algumas das várias exibições disponíveis por lá.

Uma das peças mais interessantes na minha opinião é uma arma em forma de charuto e uma câmera em forma de isqueiro. É possível ver mais itens também no site deles clicando aqui.

Caso você tenha ficado curioso em visitar o museu neste link aqui é possível checar o horário de funcionamento de acordo com o dia que pretende visitar. Por ser privado ele tem uma agenda diferente dos outros museus de D.C. A entrada custa U$22 só que se você for militar mesmo que aposentado paga U$16. Crianças a partir de 7 anos pagam U$15 e menores de 7 anos entram de graça.

Caso você tenha se interessado em ir ou já tenha ido deixe um comentário abaixo.

Até o próximo post  =0)

 

 

Compartilhe

Por Érica Brasilino

1

Pessoas comentaram

América EUA O que fazer em Washington DC Onde comer Viagens Washington

Chinatown em Washington D.C

24 de Janeiro de 2017

O bairro de Chinatown em Washington é uma daquelas regiões que turistas com um pouquinho mais de tempo desbravam por serem entusiastas da culinária e cultura asiática ou moradores da cidade visitam porque tem uma seleção incrível de restaurantes, bares e locais para passear.  Tem muita coisa bacana por lá e no post de hoje vou mencionar o que eu adoro fazer na região além de comer comida chinesa.

O que fazer?

Smithsonian American Art Museum

Museu totalmente dedicado a arte americana sendo o primeiro museu dedicado ao tema. Rico em peças indígenas, latino americanas entre outros. Está na minha lista para nossa próxima visita a D.C.

 

Martin Luther King Jr Memorial Library – Central Library

Biblioteca da cidade, residentes e não residentes podem aplicar para ter um cadastro e pegar livros emprestados, usar os computadores e afins.

 

Madame Tussauds Washington DC

Famoso museu de cera onde você pode tirar fotos hilárias com os seus ídolos da música, cinema e afins. Como já visitei o de Los Angeles não visitei este aqui. Para mim quem viu um viu todos. Quem nunca visitou vale o passeio. Pesquisando para escrever este post descobri que esse museu em D.C tem todos os 44 presidentes americanos e outras figuras ilustres na história dos Estados Unidos como Martin Luther King Jr. Acabou de entrar para a minha lista de lugares á visitar na próxima temporada em D.C. De acordo com o site se você comprar os ingressos antecipados eles custam U$17,60 e crianças com menos de dois anos entram de graça.

 

Ford’s Theater

O teatro que ficou mundialmente famoso por ter sido palco do assassinato do Presidente Lincoln. Tour guiado, mini museu e uma infinidade de informações sobre o fatídico dia. Se você curte história o passeio é um prato cheio. Comentei sobre ele neste post aqui.

 

Capital One Arena

Ginásio poli esportivo onde acontecem jogos e também apresentações musicais entre outras atividades. Durante sua visita vale dar uma olhada no site deles e verificar quais atrações estarão em cartaz. Durante nossa temporada em D.C houveram várias partidas do Washington Capitals (time profissional de hóquei sobre o gelo), mas shame on me não fomos a nenhum jogo. Sempre tinha outro evento no mesmo dia. Mais um que ficou pra próxima temporada na cidade.

 

National Building Museum

Museu Nacional dedicado a arquitetura, engenharia, construção, design e desenvolvimento urbano. Caso seja sua área de atuação vale a visita.

 

International Spy Museum

Um dos poucos museus pagos de D.C, este museu é tão fantástico que falo apenas sobre ele aqui. Vale a visita e todos os Obamas pagos para entrar nele (muito provavelmente você pagará Trumps após ler este post…).

 

Onde comer?

Minha parte favorita desse bairro são as inúmeras opções de restaurantes, cafés e afins. Listo aqui os meus favoritos.

 

Hard Rock Café Washington DC

Dando continuidade a nossa tradição de visitar o Hard Rock Café em qualquer lugar do mundo que estivermos (já visitamos em Los Angeles, Las Vegas, San Francisco, Washington DC, Orlando, Miami, Key West, Cancun, Buenos Aires, Madri e Barcelona). Sei que a comida não é nada saudável, mas… sempre que visitamos pedimos o Jumbo Combo que é composto por Asinhas de Frango, Anéis de Cebola, Spinach Artichoke com pão de parmesão, Bruschetta e Chicken Tenders. Se estamos a muito tempo fora dos Estados Unidos optamos pelo famoso Mac and Cheese (o deles é divino). Se o meu marido esta afim de comer hambúrguer, o favorito dele é o Hickory Barbecue Bacon Cheeseburger que vem com queijo cheedar, onion rings, molho barbecue e otras cositas más. E para fazer aquela mistura bem maldosa no nosso estômago um copão de cerveja estupidamente gelado.

 

Rosa Mexicano

Temos uma tara por comida mexicana e este aqui é um dos nossos favoritos em D.C. Indico que você experimente a Guacamole en Molcajete que nada mais é que a tradicional guacamole preparada na sua frente. Nachos de Tres Quesos também é uma boa pedida. As porções são bem servidas e muitas vezes ficamos apenas nos aperitivos com uma Corona bem geladinha. Porém se você for na intenção de uma refeição completa indico o Tacos de Pescado a la Parilla que são tacos de peixe com molho tártaro e jalapeño. Uma delícia. As sangrias e os mojitos por lá também são muito bons.

 

Reren

Restaurante Asiático considerado um dos melhores de Washington. No dia do Ano Novo Chinês estava com fila de espera de duas horas. Mas vale muito a pena. No menu sempre opto por Fire balls que são bolinhas de batata fritas com um molhinho picante delicioso, Handmade Pork Dumplings que seriam um guioza de carne de porco e meu favorito Grandma’s Style Pancake que não é uma panqueca mas como se fosse um sanduíche com carne desfiada acebolada, é de comer de joelhos.

 

E você já visitou Chinatown? Planeja visitar? Compartilha comigo a sua experiência.

 

Até o próximo post  =0)

Compartilhe

Por Érica Brasilino

0

Pessoas comentaram

América EUA O que fazer em Washington DC Viagens Washington

Assassinato do Presidente Lincoln Walking Tour

16 de Janeiro de 2017

Uma das histórias que mais fascinam os americanos é a fatídica noite do assassinato do 16º presidente dos EUA Abraham Lincoln. Claro que ele é um dos mais importantes presidentes da história americana, tanto que seu memorial é um dos mais belos e mais visitados . Lincoln foi o presidente que manteve os EUA na linha durante uma de suas piores épocas a Guerra Civil e aboliu a escravidão. Autodidata o advogado concorreu a presidência em 1858 e por sua posição firme contra a escravidão angariou inimigos por todo o sul, conseguindo votos para a sua eleição majoritariamente nos estados do norte onde os negros já viviam de alguma forma livre. Após sua eleição, 7 estados escravocratas do sul (Alabama, Carolina do Sul, Flórida, Geórgia, Louisiana e Mississipi) decidiram se separar dos EUA, levando a nação à sua guerra mais sangrenta. Mesmo sendo o líder de uma nação dividida (será que a história está se repetindo?) Lincoln saiu de cena em vida para se tornar uma lenda após sua morte.

Durante nossa estadia em Washington, fizemos um dos muitos Walking Tours que são oferecidos pela cidade onde você paga o quanto você acha que vale. Nosso walking tour teve início na Lafayete Square em frente a estátua do senhor Andrew Jackson. O tour durou cerca de duas horas e percorreu cerca de 1.6km num dia muito frio. O guia explicou com riqueza de detalhes toda a trama que levou ao assassinato do presidente Lincoln, as pessoas envolvidas, os locais onde os ataques aconteceram e dá uma grande ideia mesmo para quem não é americano e nunca estudou a história deles, como os americanos do sul viam o Lincoln como um problema a ser eliminado principalmente por sua posição contra a escravidão. O tour termina no Ford’s Theater e Petersen House, o local do assassinato do presidente e consequentemente a casa do outro lado da rua onde ele veio a falecer na manhã do dia seguinte. Estes walking tours geralmente não incluem o valor de entrada no teatro nem na Petersen House. Caso você tenha interesse em entrar e visitar deve adquirir as entradas antecipadamente.

O teatro se tornou um museu e há exposições sobre o mandato do presidente Lincoln, sua vida, morte e curiosidades sobre o complô que deu fim à vida dele. Na área do teatro ao longo do dia, Park Rangers (funcionários do teatro) dão pequenas palestras contando detalhes sobre a noite do assassinato, onde o presidente estava sentado, quem estava com ele na bancada e como a platéia reagiu aos eventos daquela noite. Em uma outra área do teatro há uma exibição que mostra os eventos que aconteceram logo após o assassinato, como as decisões foram tomadas pelo governo para encontrar os culpados e dar continuidade ao legado do presidente Lincoln e também a fuga ensandecida do ator que se tornou o homem mais procurado até então da história americana.

Logo do outro lado da rua é possível visitar a Petersen House, casa que ficou famosa por ter sido o local onde o presidente Lincoln faleceu. A casa pode ser visitada mas somente de 15 em 15 pessoas. Eles mantiveram tudo exatamente da mesma maneira como era no dia do assassinato. O ticket de entrada no Ford’s Theater dá direito a visitar a Petersen House. Nessa casa também foram conduzidas as investigações e os interrogatórios daqueles que foram presos associados ao complô contra o presidente.

Caso você tenha interesse em entrar no museu eu indico comprar os tickets com antecedência clicando aqui. Quase impossível comprar no mesmo dia, uma vez que este local é uma das atrações mais visitadas na cidade, principalmente por grupos enormes de estudantes on field trips. Custa apenas U$3 e se você for um aficionado por história como eu será um prato cheio de cultura e informação. Claro que no meu caso o fato de ser casada com um americano que também ama história é uma outra desculpa para que a gente faça este tipo de turismo. Se você tiver interesse em um “pague o quanto vale walking tour” clique aqui.

E você já visitou o Ford’s Theater ou planeja visitar? Compartilha comigo a sua experiência na caixa abaixo ou faça sua pergunta sobre o tour.

Até o próximo post  =0)

 

 

 

Compartilhe

Por Érica Brasilino

2

Pessoas comentaram

Estilo de Vida Quando Viajar Viagens

Como organizar uma viagem?

11 de Janeiro de 2017

Que tal começar o ano organizando mais viagens? Com um pouco de pesquisa e determinação é possível tirar aquela viagem fantástica do papel e realizar o seu sonho.

Quando meu marido diz: estaremos de ferias no mês tal, para mim é como se ele falasse que eu emagreci ou que ganhei na loteria. É a melhor frase que ele pode me dizer, não importa a época do ano. Sempre quando ele define o período que pode se ausentar na empresa, começa do meu lado os preparativos para uma aventura. Mas como decidir para onde ir? O que fazer? Quanto gastar? No post de hoje vou listar as etapas para organizar as nossas férias. Quem sabe este post ajuda você a tirar o seu projeto do papel.

Decidir o destino para nós não é tão difícil uma vez que nós dois temos o mesmo gosto por lugares de praia ou de turismo de aventura. Se puder unir os dois numa única viagem, melhor ainda. Por falarmos espanhol/inglês/francês e  português, confesso que sempre damos preferência para destinos que falem os idiomas que sabemos. Este ano como estamos morando na África, o idioma não será fator determinante para nossa escolha de destino, apenas listamos o que gostaríamos de conhecer aqui neste continente por ordem de preferência e vamos tentar ver o maior número de lugares possíveis.

De acordo com a época da viagem e uma lista de pelo menos 2 lugares em mente começo a pesquisar sobre o clima durante o mês das nossas férias. O que mais queremos evitar são surpresas desagradáveis e ir por exemplo para o Caribe durante a temporada de furacões e ficar preso no hotel ou correndo perigo de vida. Além de perder dinheiro pode ser inclusive perigoso. Se o clima estiver bom para a época desejada pulo para a próxima etapa da organização que seria pesquisar se é alta ou baixa temporada no destino escolhido. Para mim este é um dos itens mais importantes. Viajar em alta temporada não apenas significa que os preços de passagens e hospedagens estarão nas alturas, mas também que você pode levar horas para conseguir comer ou nem conseguir entrar em alguns lugares.

Nós dois somos adeptos de viajar sempre no contra fluxo. Dito isso, visitamos Campos do Jordão e Monte Verde no verão. Pois é nada de lareira e fondue para nós, em contrapartida encontramos cidades vazias e com preços acessíveis. Orlando das 4 vezes que já visitamos apenas 1 calhou de ser em agosto durante as férias americanas. Além do calor insuportável, a Disney estava infernal. A montanha russa Seven Dwarfs Mine Train a mais nova atração do Magic Kingdom tinha fila de espera de 4 horas sem contar a quantidade absurda de carrinhos de bebês e crianças chorando para todos os lados. Foi um dia mais estressante do que animado para nós.  A melhor época de visitar Orlando entre todas as que já fomos é novembro. Os alunos estão em provas tanto nos Estados Unidos como no Brasil, os parques já estão com a decoração de Natal, o clima já não esta mais tão quente como o Saara e você repete os brinquedos. Fomos na Hulk Roller Coaster na Universal 5 vezes seguidas!

Batido o martelo quanto ao destino começo a saga das passagens aéreas. Verifico sempre no Decolar.com e no Kayak.com. Estes são sem dúvida meus dois sites favoritos. A companhia aérea que estiver mais barata eu entro em contato diretamente no site deles e fecho por lá. Geralmente sai mais em conta no site da própria empresa do que nos sites parceiros pois você evita pagar taxas intermediárias. Quando começo a pesquisar passagens tem outro macete… por qual aeroporto viajar?

Se você estiver em São Paulo há a opção de voar por Congonhas, Viracopos e Guarulhos. Congonhas é sempre mais caro. Por ser localizado no coração da cidade, as passagens partindo de CGH sempre são mais caras. Guarulhos e Viracopos acabam sendo opções mais em conta para destinos domésticos e internacionais. A grande questão é… quanto tempo de deslocamento você terá e o mais importante quanto vai gastar para chegar até estes aeroportos. Já viajei pelos 3 e cada um tem suas peculiaridades.

Se viajar por GRU utilizando GOL ou TAM ambas oferecem serviço de traslado sem custo adicional partindo de CGH e do Terminal Tietê. Nos sites das cias aéreas você pode acessar o horário de chegada e saída e todas as rotas oferecidas. Já o aeroporto de Viracopos principal HUB da Azul linhas aéreas tem um serviço de ônibus ate CGH. Em todos estes casos você deve apresentar o bilhete aéreo impresso para poder embarcar sem custo. Caso você vá viajar para o exterior saindo de GRU aconselho a utilizar o Airport Bus Service. Sempre uso este serviço ao visitar minha família no Brasil. Desembarco em GRU, compro minha passagem por menos de 60 reais e vou até Congonhas. Confortável, eles disponibilizam água gelada, wifi e você vai sem preocupação até o seu destino. De lá pego um táxi e em 30 minutos estou sentada na sala da minha mãe. Claro que hoje em dia há o Uber. Mas acho mais fácil usar o Uber para ir para o aeroporto. Ao chegar é muito mais complicado pois a saída de GRU é lotada de taxis cadastrados e eles podem encrencar com um carro preto por lá. Lembre-se que para viagens internacionais é sempre bom chegar com 3 horas de antecedência ao aeroporto e viagens nacionais 2 horas são o suficiente. Caso a viagem seja em alta temporada ou véspera de feriados, aconselho acrescentar mais tempo para poder fazer o check in e passar pela segurança com calma. É importante você ter em mente como será seu deslocamento para o aeroporto pois a pior coisa que tem é viajar já estressado preocupado se chegar ao aeroporto a tempo ou não.

Após comprar as passagens começo a pesquisar sobre as atrações no destino. O que faremos? Será uma viagem cultural? Eco turismo? Praia 24 horas por dia? Aqui a lição de casa é mais intensa e minha bíblia neste caso se resume em Tripadvisor, Mochileiros.com e Lonely Planet. Recorro a amigos também que já tenham visitado o destino que tenho em mente para pegar dicas. Neste momento pesquisar onde ficam as atrações é primordial para se ter uma ideia de onde ficaremos hospedados e como chegaremos ate lá após sair do aeroporto.  Nesta etapa monto um roteiro para apresentar ao meu marido e coloco no papel o que faremos em cada dia da viagem em cada cidade visitada. Há pessoas que não gostam deste tipo de planejamento e que gostam de fazer o que der na telha no momento que acordam. Cada um tem um estilo de viagem e nós estamos habituados a já sair de casa com uma programação impressa onde colocamos endereços das atrações, valores dos passeios, como chegaremos até lá. Talvez este não seja o seu estilo de viagem, após 4 anos juntos descobrimos que este modelo funciona perfeitamente pra gente.

Após ter uma ideia das atrações que iremos visitar no destino, começo a pensar nos hotéis. Nessa etapa o meu serviço preferido é sem dúvidas o Booking.com. Aqui o fator custo/benefício/localização é primordial. Para poder definir onde ficaremos levo em consideração se a cidade conta com serviço de transporte acessível, se alugaremos carro/moto, se usaremos serviço de empresas de receptivo local para os passeios, se há restaurantes perto para jantar, se é seguro. Não é apenas o fator preço por noite que levamos em conta onde nos hospedar. Quando fizemos nosso mochilão pela Espanha, fizemos 13 cidades em 3 semanas. Nos primeiros 4 dias como ficamos em Madri sem carro optamos por um Hostel bem simples, mas ao lado da estação de Metro Sol. Uma mão na roda pois fizemos tudo a pé por lá. Já na Costa Rica, numa das cidades no centro do país optamos por um resort all inclusive pois queríamos ter a experiência de relaxar nas piscinas aquecidas naturalmente pelo vulcão Arenal. Tudo depende do tipo de viajante que você é: você curte luxo ou você fica feliz com uma cama limpa e ar condicionado + wifi?

Algo muito importante para nós é ter acesso a comida internacional. Nós não somos aventureiros no quesito comida. Não nos ofereça uma sopa de tartaruga ou sangue de cobra. Sempre nos mantemos fiéis ao combo comida italiana, mexicana, libanesa, japonesa, brasileira e cubana. Se houver um destes no local já estamos felizes. Sempre pesquiso onde comer no Tripadvisor, Yelp e Foursquare. Nessas pesquisas em uma das cidades que visitamos na Costa Rica descobrimos um restaurante no topo de uma árvore simplesmente original e fantástico. Surpresas de viagem que o destino nos da.

E tão importante quanto é verificar se o país de destino pede visto de entrada ou caderneta de vacinação em dia. Lembre se sempre de que para sair do Brasil seu passaporte deve ter mais de 6 meses para vencer e alguns países são bem amistosos com o Brasil e não precisamos de vistos de entrada ou se precisar podemos requerer na entrada no país. Mas cada país é soberano sobre suas regras. Fique atento. Caso precise solicitar seu passaporte neste artigo aqui explico sobre como solicitar o seu.

Sei que o post ficou longo, mas pelo menos dá uma ideia de como organizar uma viagem. E você já tem em mente quais lugares visitará em 2017? Nós já temos nossa lista pronta.

Feliz ano novo e ótimas viagens para vocês,

Até o próximo post  =0)

 

Compartilhe

Por Érica Brasilino

0

Pessoas comentaram