Avaliação de Cia Aérea

Como é viajar de primeira classe pela American Airlines?

12 de agosto de 2016

Fiz o trecho DCA – FLL (Ronald Reagan Washington National Airport para Fort Lauderdale-Hollywood International Airport) na quarta e vou compartilhar com vocês como foi a experiência.

Como estamos em transição entre países temos 2 malas enormes de 32 quilos para cada um. Voos nacionais dentro dos EUA permitem apenas 2 malas de 23 quilos para cada passageiro. Fomos obrigados a viajar de primeira classe pois nessa categoria de vôo poderíamos levar as malas de 32 quilos sem pagar excesso de bagagem. E a American Airlines cobra valores astronômicos por excesso de peso ou seja valia mais a pena simplesmente pagar um pouco a mais pela primeira classe, levar as malas de 32 quilos e ter conforto do que pagar o excesso de bagagem.

Essa foi a primeira vez que voei de primeira classe na vida. E confesso que é uma experiência única. Ter dinheiro não traz felicidade mas transforma a experiência de voar em algo sensacional. Tudo é melhor para quem voa na primeira classe e eu não tinha a menor noção disso.

Credito: Instagram

No check in havia uma fila diferenciada para a primeira classe. Enquanto a fila estava quilométrica para os passageiros da classe econômica, fomos atendidos em questão de minutos. Emitiram nossa passagem, pesaram e etiquetaram as malas extremamente rápido e com um sorriso enorme no rosto. Cada mala ganhou uma etiqueta de “Priority” e pelo o que entendi essas malas são retiradas primeiro da aeronave e você não fica no carrossel esperando elas pra sempre. No embarque fomos os primeiros a entrar na aeronave. Passar na frente até dos idosos foi estranho. Mas entrar na aeronave e ter o bagageiro vazio e não ter que brigar para encontrar espaço para a mala de mão foi um plus.

Enquanto os passageiros embarcavam o comissário perguntou o que queríamos beber… eu humildemente perguntei o que tinha e ele com um sorriso respondeu: “O que você quiser”. Fiquei CHO-CA-DA e pedi um champanhe claro (ideia da minha amiga Érica Alves porque eu nem sou uma pessoa de tomar champanhe… sou mais uma cervejinha mesmo).

Credito: Instagram

Além do champanhe foi servido uma porção de nozes, castanhas e amendoins quentes. E antes de comer nos entregaram toalhas quentes umedecidas para limpas as mãos. Confesso que gostei de ser servida com copos de vidro, pratos de porcelana e talheres de inox. Sem contar que esperar 200 pessoas embarcarem dessa maneira é muito mais confortável.

Quando levantou vôo nos serviram snacks. Nosso vôo era curto de apenas duas horas e meia entre Washington e Miami e neste tipo de vôo nacional o que você quiser comer você tem que pagar, a única coisa que eles servem sem custo são sucos, águas e refrigerantes. Isso é bem comum aqui nos EUA e as cias aéreas no Brasil estão indo na mesma direção.

Eu optei por uma porção de antepasto e não decepcionou. Na minha porção veio queijo de búfala, palmito, salame, presunto parma, pão italiano, bolacha cream cracker e pão sírio. Para acompanhar pedi suco de laranja.

Após a refeição aproveitei pra colocar a leitura em dia do livro que estou lendo no momento (Não Se Ilude Não da Isabella Freitas). Por ser um vôo nacional este avião não oferecia entretenimento a bordo.

Minha experiência foi sensacional. O comissário foi extremamente gentil e atencioso. E ao chegar em Fort Lauderdale nossas malas foram as primeiras no carrossel. Serviço de excelente qualidade.

Se eu voaria de primeira classe de novo? Gente sempre. Queria ser a Kim Kardashian e ter dinheiro para isso.

Caso você já tenha voado de primeira classe deixe seu relato na caixa de comentários abaixo.

Até o próximo post =D

Compartilhe

Por Érica Brasilino

2

Pessoas comentaram

Post anterior:


Próximo post:


Comente via Facebook

Deixe seu comentário

2 Comentários

  • Vanessa Diniz
    12 ago 2016

    Erica, eu ja peguei onibus leito, e como podre eu achei sensacional