Posts arquivados em: Mês: junho 2016

América EUA O que fazer em Washington DC Viagens Washington

Monumentos do Tidal Basin

28 de junho de 2016

O Tidal Basin é um lago feito parcialmente pelo homem e pela natureza. Encontra-se entre o Rio Potomac e o National Mall. Famoso por ser o local onde é celebrado o Festival das Cheery Blossoms e por ser também o lar de alguns monumentos em D.C. Você pode acessar o lago pela estação Smithsonian do metrô (linhas laranja, azul e prata) ou se você já estiver caminhando pelo National Mall é mais fácil acessar por trás do DC War Memorial onde há um ponto de travessia de pedestres.

Vindo do National Mall assim que cruzar a Avenida Independence, a sua direita há o Martin Luther King Jr Memorial Visitor Center. Você pode comprar lembrancinhas de Washington e também é o único local onde há banheiro público nessa área. Aconselho veementemente utilizar os banheiros, mesmo que não esteja com vontade. A caminhada pelo lago é de aproximadamente 3.5km. A vista é tão bonita que você nem sente mas acredite, no final dessa rota você estará bem cansado.

A entrada do lago neste ponto se dá pelo  Martin Luther King Jr Memorial. MLK foi o primeiro negro americano a ter um memorial erguido no National Mall. Ele também é um dos únicos homens honrados no Mall que não foi presidente dos EUA. A história  dele se mistura com a história do país e de Washington, fazendo deste um ponto de peregrinação dos afro americanos. Vale a visita.

Fui num dia muito frio em abril, durante a semana, estava vazio. O que é uma maravilha pois deu pra ver tudo com calma. Além do memorial, há inscrições nas paredes com frases de impacto ditas por ele quando o mesmo lutava pelo movimento dos Direitos Civis.

Continuando nossa caminhada, pelo lado direito do monumento circulando o lago, o próximo monumento é o meu favorito de todos em DC (desculpem me os adoradores de Lincoln e Washington…), chegamos ao Franklin Delano Roosevelt memorial.

Este memorial é o maior em extensão de DC. O incrível é que este presidente não queria nenhum memorial para ele. FDR foi o presidente americano que ficou por mais tempo no poder, quatro mandatos no total de 12 anos. Curiosamente FDR era portador de necessidade especial por isso ele está sentado no seu memorial. FDR foi presidente durante a Segunda Guerra Mundial e durante a Grande Depressão, quando os EUA passaram por uma de suas maiores crises econômicas. A segunda foto acima mostra a fila de pessoas que se formavam todos os dias em locais designados pelo governo para a distribuição de rações alimentares. Muitas vezes essa era a única refeição do dia para essas pessoas e suas famílias. Pra mim é uma das fases mais interessantes da história  americana, vale a pena pesquisar a respeito. FDR é citado pelas escolas americanas como um dos 3 presidentes mais importantes dos EUA ao lado de Lincoln e Washington.

Continuando nossa caminhada pela margem direita do lago, chegamos ao George Mason Memorial. Vou falar a verdade… eu nunca tinha ouvido falar deste senhor… descobri que ele é considerado um dos Founding Fathers (grupo de pessoas que declararam a Independência dos EUA contra a Inglaterra e fundaram os EUA, somente isso!!!). Ele também foi o responsável por escrever a primeira Bill of Rights do estado da Virgínia que seriam os direitos dos cidadãos deste estado e que depois seria o ponto de partida para o Bill of Rights do novo país livre os EUA. Ou seja o cara é muito importante sim e por isso merece o memorial.

E por fim mas claro não menos importante chegamos ao Thomas Jefferson Memorial. Ele que foi o principal autor da Declaracão de Independência dos EUA e conhecido como o presidente 1,2,3 de acordo com os docentes. Ele foi o primeiro secretário de Estado, o segundo Vice Presidente da história americana e o terceiro Presidente. O memorial dele é bem bonito e se você visitar durante o festival das cerejeiras é mais lindo ainda.

Quando for passear pelo Tidal Basin lembre de ir com tênis confortáveis, levar água e protetor solar caso seja verão. A caminhada é longa. No dia que fiz esta caminhada foi o dia mais cansativo dos meus dias de turista por aqui. Andei quase 10 kilometros pois não está tão perto assim do metrô e se você unir este passeio ao National Mall pode ter certeza que no final do dia você estará autorizado a comer um Big Mac.

No próximo post vou falar sobre o Festival das Cherry Trees no Tidal Basin.

Até lá 🙂

Compartilhe

Por Érica Brasilino

1

Pessoas comentaram

América EUA O que fazer em Washington DC Washington

Washington Monument

24 de junho de 2016

A estrela do blog hoje é Washington Monument. Monumento que é a cara de D.C. Famoso por ser sempre destruído em filmes ou por apenas aparecer lindo e imponente na tela do cinema no meio do National Mall, impossível não se deparar com ele de várias partes da cidade. Me lembro a primeira vez que o vi de perto e como fiquei com torcicolo ao olhar para cima para aquela imensidão em contraste com o céu da capital do país.

Eu na verdade nem sabia que era possível subir no topo do monumento, muito menos que tinha um deck de observação lá no alto. Quando mudamos para Washington, um dia assistindo o jornal local, vi o jornalista falando sobre o tour, e como era difícil agendar uma visita. Pois existem duas maneiras de conseguir essa façanha e compartilharei com vocês.

A primeira delas é chegar no quiosque que fica bem em frente ao monumento às 6 da manhã e enfrentar a fila de turistas que se aglomeram tentando tickets para o mesmo dia. Funciona na base do First Come First Serve (algo como chegou levou). Você pode sim fazer isso e acho que deve ser a maneira como a maioria das pessoas o fazem. Mas se você tiver visitando no inverno… ficar na fila por pelo menos duas a três horas sem garantia de que vai conseguir pegar e enfrentar um frio de -14C dependendo do mês que você vier, não me parece algo tão atraente assim… sem contar que qual o turista em sã consciência tá afim de estar numa fila as 6 da manhã? Ain… sorry… acho que eu só faria isso se dessem maquiagem grátis… mas na verdade acho que nem assim eu me animaria…

A segunda maneira de conseguir tickets é pelo site deles Washington Monument, o ticket custa U$1.50 por pessoa e você será cobrado em dólares. Ou seja se usar cartão de crédito brasileiro saiba que estará sujeito a cotação do fechamento da sua fatura + IOF. Só que CLARO há um porém… os tickets não são reembolsáveis e caso haja algum imprevisto o National Park Administration se reserva o direito de cancelar os tours sem aviso prévio e sem devolução do valor pago. Dito isso tenha em mente que caso algo aconteça na data que você escolheu… não chore… um dia você pode voltar e tentar a sorte de novo. Nós tínhamos tickets comprados para 22/01/2016 mas adivinha só??? Caiu a nevasca Jonas… Caiu mais de 1 metro e 30 centimetros de neve em D.C naquele final de semana e ficamos presos dentro de casa proibidos de sair por 4 dias inteiros. Com isso lógico que perdemos nossos tickets… Daí quando finalmente tentei comprar de novo, só tinha para junho!!!!!!!!! Isso mesmo JUNHOOOOOOOOO. 5 meses depois.

Eles sempre abrem o calendário com 90 dias de antecedência. Acabei de checar e eles estão com datas disponíveis até 24/09. Ou seja se você comprar seu bilhete aéreo para D.C com 90 dias de antecedência e não for durante junho/julho suas chances de conseguir entradas são enormes. Pelo site vi que tem umas datas disponíveis para agosto agora. São apenas 60 dias a contar de hoje. Vale a pena também mas, é melhor prevenir. Crie um evento no calendário para lembrar o dia de entrar no site deles. Vai por mim.

Eu acho fenomenal a oportunidade de ver Washington de cima. De acordo com a wikipedia, 18 milhões  de pessoas visitam a cidade por ano e uma quantidade muito pequena dessas pessoas tem a oportunidade de ver o monumento por dentro. Ou seja, é quase uma exclusividade e que se bem planejado é possível fazer. Lá de cima você vê a Casa Branca, o Capitólio, o Lincoln Memorial e os estados de Maryland e Virgínia entre outras coisas… já fui lá duas vezes, uma sozinha durante a semana no inverno e semana passada com meu noivo. A diferença é gritante. No verão, as árvores estão extremamente verdes e vivas. Vou deixar abaixo fotos dos quatro ângulos do topo do monumento onde você poderá ter uma ideia.

Caso seu inglês esteja afiado, os park rangers que operam os elevadores dentro do Washington Monument dão uma mini aula de história sobre a construção do Memorial e fatos interessantes sobre a capital.

No próximo post vou falar sobre os monumentos que estão no Tidal Basin e são acessíveis pelo National Mall a pé.

Até lá  =)

Compartilhe

Por Érica Brasilino

1

Pessoas comentaram

América EUA O que fazer em Washington DC Viagens Washington

Monumentos do National Mall – Parte 2

21 de junho de 2016

O post de hoje é a continuação do post anterior sobre os monumentos que você encontra no National Mall em DC. Recapitulando vimos o Lincoln Memorial, a pedra que marca o local do discurso do Martin Luther King Jr e seguimos pelo lado esquerdo de quem está olhando para o Washington Monument. Vimos também os Three Soldiers, o Vietnam Women’s Memorial, o Vietnam Veterans Memorial e paramos para tomar uma água e descansar no Constitutions Garden. Agora seguimos em frente e vamos nos deparar com o World War II Memorial. Simplesmente lindo.

No inverno até meados de março/abril, enquanto ainda tem possibilidade de neve eles deixam a fonte no centro desligada. Mas no verão ela é lindíssima. Essa foto dá pra ter uma ideia da magnitude do lugar. Cada uma dessas placas de cimento grossas na lateral tem o nome de um estado americano. As pessoas costumam procurar as placas do seu estado e tiram fotos com elas. É bem bacana. Você consegue ver o Lincoln Memorial lá ao fundo.

Saímos agora do World War II Memorial e seguindo pelo lado esquerdo voltando em direção ao Lincoln Memorial, caminhamos até chegar ao DC War Memorial. Este não é muito conhecido do grande público. Ele fica entre as árvores e os locais costumam casar debaixo dele ou fazer fotografias de casamento por lá. Eu acho ele bem bonitinho. Esse memorial não é considerado um monumento nacional e sim local. Ele foi o primeiro monumento construído no National Mall após a construção do Lincoln Memorial.

E aqui uma foto de um casamento bapho que foi realizado neste memorial que eu achei no Google. Para poder casar neste local você deve contactar a “prefeitura” e solicitar uma licença. Este é o único local do National Mall onde um casamento pode ser realizado, uma vez que é um monumento do Distrito de Columbia e não um momento nacional. Fica a dica para um destination wedding. P.S: Escolhi a foto abaixo porque ela é linda em vários sentidos: um militar gay casando com um indiano. Quebra de tabus e paradigmas atingidas com sucesso S2.

Daqui deste ponto se você atravessar a avenida em frente a este monumento (Independence Avenue) voce estará numa das entradas para a área do Tidal Basin, que é um lago onde há mais memoriais e onde acontece o festival das cerejeiras. Vou falar sobre o Tidal Basin no próximo post.

Saindo do DC War Memorial caminhando em direção ao Lincoln vamos chegar ao Korean War Memorial. É impressionante como esse memorial parece ter vida. Eu não tinha ideia sobre a magnitude dessa guerra até visitar este memorial e por curiosidade ler sobre ele. A quantidade de coreanos que visitam é enorme e eles fazem rituais e cerimônias por la.

Há um painel com fotos da guerra e estatística com o número de mortos, feridos e desaparecidos tanto dos EUA como da United Nations. Mas o que mais me impressionou na verdade foi ler a frase abaixo. Eu não tinha noção de como os americanos são engajados nessa questão de liberdade… porém a liberdade no mundo atual tem um preço. Para se pensar. P.S: Nao vou discutir se eles estão certos ou errados… como cidadã nascida e criada em um país que não entra em guerra com ninguém minha visão pode ser limitada. Como ex funcionária do Departamento de Estado, casada com um americano morando na América, eu também não sou uma pessoa parcial. Fica a cargo de cada um pensar e ter sua opinião a respeito 😉

E chegamos de volta ao Lincoln Memorial. Se você é da turma de exatas (coisa que eu não sou) e fizer essa caminhada que eu descrevi no post anterior e neste aqui, você terá andado cerca de 2 quilomêtros. Mais a caminhada ate o metrô ou outro lugar para comer você pode facilmente caminhar até 5 quilômetros em um dia. Mas tem tanta coisa legal para ver que o cansaço só vai bater a noite no hotel. Nada que um Dorflex não resolva 😀

Nesta parte de DC meus memoriais favoritos são: Lincoln Memorial (pela grandiosidade e pelo o que ele representa para os EUA) e o World War II memorial. Mas todos os outros super valem a pena ver.

Este post fica por aqui e vou terminar com uma foto do Lincoln Memorial que foi o nosso ponto de início e término deste tour. Sempre me emociono ao visitar este memorial.

 

Até o próximo post   =)

 

 

Compartilhe

Por Érica Brasilino

2

Pessoas comentaram

América EUA O que fazer em Washington DC Viagens Washington

Monumentos do National Mall

17 de junho de 2016

Agora que você decidiu passear pelo National Mall vou falar neste post sobre os monumentos que você vai encontrar por lá. Repetindo a informação do post anterior, para visitar apenas os monumentos eu aconselho descer na estação Foggy Bottom do metrô (linhas prata/laranja/azul). Você vai sair na rua 23rd e seguir a rua do seu lado direito de quem sobe as escadas rolantes. Nessa rua você vai passar em frente ao Departamento de Estado (ou a nave mãe como os diplomatas carinhosamente apelidaram o prédio). Também vai passar em frente ao Instituto da Paz.

Assim que você descer a rua 23 antes de entrar no National Mall, sugiro você a virar para o lado esquerdo e andar mais uns 3 minutinhos até chegar em frente a Academia Nacional de Ciências (National Academy of Sciences). Na porta eles tem uma estátua gigantesca do querido Albert Einstein e vai poder tirar uma foto tão legal quanto a minha 🙂

Após tirar várias selfies com o físico mais famoso do mundo, atravesse a avenida e entre no National Mall. Cada pessoa tem uma forma de turistar, tem gente que vai andando sem rumo. Eu sou a chata de viagem que lê mapas e triangula a distância para otimizar o dia e para economizar sola de sapato. Dito isso, a sequência de monumentos neste post segue essa regra. Começaremos pelo famoso Lincoln Memorial.

Impossível não saber que o Lincoln foi um dos presidentes mais importantes da história americana. Ele aparece em vários filmes, está impresso na nota de U$5 e etc. Confesso que quando vi o Lincoln pela primeira vez em novembro de 2014 eu fiquei chocada. Chocada por estar de frente para a estátua que eu só via em filmes. O monumento é grandioso e nesta parte do National Mall é o meu favorito.

Após você ficar encantado com o tamanho deste monumento, é hora de virar para as escadas e olhar a imensidão do National Mall. Bem a sua frente estará a famosa Reflecting Pool e o Washington Monument. Eu adoro sentar nessas escadas e admirar o vai e vem das pessoas. Sem contar que o cair da tarde visto daqui é sensacional.

Estando ai nas escadas procure o degrau onde Martin Luther King Jr fez seu famoso discurso I Have a Dream quando lutava pelos Direitos Civis na década de 60. Pise onde ele pisou e se sinta importante.

Agora é hora de seguir para os monumentos do lado esquerdo do Mall. Desça as escadas e caminhe em direção ao monumento The Three Soldiers (Os três soldados) que é uma homenagem aos soldados da guerra do Vietnam. A foto ficou ótima porque era um dia de céu encoberto e meio friozinho. Dei sorte 🙂

Do lado esquerdo andando mais uns 5 minutinhos você chega ao Vietnan Women’s Memorial, dedicado às mulheres que participaram da Guerra do Vietnan. A grande maioria participou como enfermeiras.

Logo atrás destes dois memoriais está o mais importante deste lado do Mall que é o Vietnan Veterans Memorial. Nele você vai encontrar o nome de 58307 soldados que morreram na guerra do Vietnan defendendo os EUA. Dentre estes nomes há o de 8 mulheres e de 1200 soldados que foram considerados desaparecidos. Ao lado esquerdo do memorial há um livro que contém todos os nomes em ordem alfabética dos soldados que pereceram em combate, onde você pode localizar pelo último nome em qual parte do memorial esta a pessoa em questão. Confesso que foi um choque visitar este memorial pois neste dia havia um casal de noivos tirando fotos com a avó em frente ao nome do avô que morreu na guerra e eles estavam muito emocionados. Eu chorei junto com eles. Eu não tirei fotos em respeito a família neste dia e infelizmente em todas as outras vezes que eu voltei lá estava sempre tão cheio de familiares que eu fico muito sem graça de fotografar… não sei… acho meio sem noção ter uma pessoa ali homenageando um ente querido, um amigo e eu lá com a câmera na mão dando uma de louca. Respeito quem o faz, mas eu particularmente não consigo… A foto abaixo eu peguei no Google. Cenas como esta abaixo são extremamente comuns, eu já conheci vários veteranos pelo National Mall. E todas as vezes que vejo um grupo onde alguém esta falando algo eu paro e escuto. Sempre aprendo alguma coisa.

Se você continuar andando em direção ao Washington Monument verá a sua frente o Constitution Gardens. É um lago onde há uma homenagem aos 56 ilustres senhores que assinaram a Declaracão de Independência Americana. Entre eles o senhor George Washington (claro!!!).

 

Este post vai ficar por aqui, no próximo vou falar do lado direito do National Mall. É coisa demais para ver por aqui e de graça! Só a título de curiosidade essa caminhada deste post já deu quase 2 kms. Venha de tênis e roupa confortável.

Até o próximo post  =)

 

 

 

Compartilhe

Por Érica Brasilino

1

Pessoas comentaram

América American National Parks EUA O que fazer em Washington DC Viagens Virgínia Washington

National Mall

14 de junho de 2016

Hoje vou falar sobre a menina dos olhos de todos os turistas que visitam Washington D.C: O National Mall.

Não ele não é um shopping… é um parque nacional e vai desde o Capitólio até o Lincoln Memorial cobrindo aproximadamente 3 quilômetros de uma ponta a outra. Estima-se que esta área receba cerca de 24 milhões de visitantes por ano!!!

Os residentes de DC gostam de ir ao National Mall para praticar exercícios ao ar livre. A vista é deslumbrante. O mall também é conhecido mundialmente porque sempre que os EUA são atacados por alienígenas a estátua do Lincoln ou o Washington Monument são destruídos.

O Mall é uma das minhas áreas favoritas de DC. Tem tanta coisa para ver por lá que você pode passar dias voltando para o mesmo local para ver coisas diferentes. Para visitar o mall você deve planejar com antecedência pois tudo depende de quanto tempo você terá para a sua viagem.

É possível acessar o National Mall por algumas estações de metrô diferentes. Tudo depende de qual área você irá desbravar. Olhando a foto acima fica mais fácil entender. Se você visitar a área dos monumentos que ficam entre o Lincoln Memorial (este prédio em estilo grego/romano) e o Washington Memorial (o obelisco alto no centro do parque) é mais fácil acessar pela estação Foggy Bottom do metrô (linhas laranja, prata e azul). Se você for ao mall para visitar os museus que estão localizados entre o Washington Monument e o Capitólio, o melhor acesso é pela estação Smithsonian do metrô (linhas azul, laranja e prata). Tem tanta coisa bacana para ver nesta área que vou postar individualmente sobre cada atracão, assim fica mais fácil para você  decidir o que fazer e quanto tempo gastar em cada área uma vez que vale a pena gastar tempo pra ver tudo por lá.

O mapa acima dá pra ter uma ideia de tudo o que você tem disponível para ver no Mall. O rio Potomac divide Washington de Arlington que fica no estado vizinho da Virgínia, e por lá você também tem atrações para visitar como o Pentágono, Arlington National Cemetery, Old Town Alexandria, entre outros. Se você conseguir planejar sua visita, terá tempo para ver as melhores atrações das duas cidades.

O national mall eu dividiria em dois dias. Um apenas para os monumentos e o outro para ver os museus. Mas isso será tema para outros posts.

A título de curiosidade… quando recebemos visitas aqui, no primeiro dia sempre levo eles para um tour dos monumentos no Mall. De acordo com o Activity App do iWatch este tour é de aproximadamente 7 milhas (11.2 quilomêtros). Ou seja, tenha em mente que você vai precisar de sapatos confortáveis porque caminha-se muito por aqui.

No próximo post vou falar sobre o Lincoln Memorial e os monumentos que estão ao lado dele que dá pra fazer no mesmo dia de visita. Se tiver alguma dica ou pergunta  deixe abaixo que eu respondo.

Até lá  =)

 

Compartilhe

Por Érica Brasilino

4

Pessoas comentaram

América EUA O que fazer em Washington DC Viagens Virgínia Washington

O Pentágono  

10 de junho de 2016

Ontem visitei a sede do poder americano: o Pentágono. Primeiro que é incrível que eles ofereçam visita guiada para turistas; segundo para quem adora filmes de ação este passeio é um prato cheio.

O Pentágono pode ser visto de praticamente todos os cantos da cidade. De Washington D.C, das rodovias que entram e saem da cidade, do metrô, do avião, do cemitério de Arlington. Impossível não ver uma parte do suntuoso prédio se você estiver pela cidade. Cedo ou tarde você vai ver ele. O triste é que do chão voce não consegue ver a forma de pentágono do prédio, somente de cima. Mas aí já é outra história…

Mas como visitar o Pentágono?

Primeiro visite o site oficial do Departamento de Defesa americana no link Pentagon, clique em Book a Tour e lá vai aparecer uma página pedindo seu nome e email; insira as informações e clique em submit. Automaticamente assim que você enviar as informações eles vão encaminhar um email para você com um link para continuar a solicitação de visita. O email que você vai receber conterá o link que você  deve clicar para continuar a sua inscrição e o mais importante de tudo é o documento anexo com as informarções de segurança que devem ser seguidas fielmente. Caso você não siga, adeus tour então, be prepared.

O link que você deve clicar no email te levará para uma janela do site do Departamento de Defesa onde você pode escolher as datas para verificar se tem disponibilidade de acordo com a sua agenda. O Pentágono somente oferece as visitas de segunda à sexta em horário comercial. Infelizmente.

No site diz que você pode solicitar visitas com 14 dias de antecedência. Talvez esta informação seja válida para a época de baixa temporada americana (inverno por aqui). Acabei de fazer o passo a passo e só tem disponibilidade para agosto em diante. O primeiro tour é oferecido às 9 da manhã e o último às 3 da tarde. Escolha seu horário e clique em next. Abrirá uma página falando sobre os guidelines de segurança (a mesma informação que foi enviada em anexo no email para você).

Dica: Se os caras estão repetindo a informação, por favor, siga as instruções. Simples assim. A próxima página será para você informar os dados de quem vai no tour. Nome, Data de Nascimento, Sexo, Número de Telefone, Número do Passaporte, Tipo de Visto, País de Origem, Portador de Necessidades ou não… Se não tem cidadania americana o único documento aceito é o nosso passaporte. Não esqueça de levar ele no dia do tour, sem ele você não entra.

Enfim após preencher tudo o Pentágono vai fazer o procedimento de investigação para liberar sua visita. Ou você acha que eles vão autorizar qualquer pessoa a entrar lá? Procedimento normal até quando você vai visitar uma embaixada ou consulado americano fora do país.

Após preencher tudo, eles enviaram um email dizendo que retornariam com uma resposta quando eles decidissem se eu poderia visitar ou não. Demorou uns 20 dias para receber o email confirmando o agendamento da visita.

Ontem foi o grande dia. Fui até a estação de metrô Pentagon (linhas azul ou amarela) e já ali é possível sacar que você está numa área militar. Homens uniformizados por todos os lados (um prato cheio para quem gosta). A estação é praticamente na porta do prédio, ou seja pelo o que vi se você não vai para o Pentágono meio que não tem porquê você perambular por ali. Eles estarão vigiando cada respirada sua.

O email com as instruções diz que você deve chegar lá uma hora antes do tour para poder passar pela segurança. Cheguei as 12:50 (meu tour era as 14:00). Eles não me deixaram entrar. Mandaram eu dar uma volta e retornar em 10 minutos. Voltei e descobri que meu grupo tinha 60 pessoas. No Visitor Information Center somente entra quem tem por quê estar ali. Você passa por dois policiais armados e com cachorros na entrada do prédio, #tenso.

Passei pela primeira porta de vidro e nesta primeira ante-sala é como o consulado americano com janelas blindadas. Você leva uma cópia impressa do email de confirmação que foi enviado para você confirmando seu tour e seu passaporte e eles verificam se seu nome está na lista. Daí você recebe um crachá e pode acessar a próxima sala que é como se você estivesse num aeroporto. Tanto você como sua bolsa passarão pelo X-Ray. A diferença é que no guideline do email eles deixam claro que quase nada além do seu corpo é permitido no Pentágono. Então nada de andar com mochila no dia da visita. Vá com o menor número de itens possíveis. Eu tive de tirar até meu iWatch para ser vistoriado. Também fui selecionada para passar os dedinhos no scan de pó químico. Uma maravilha.

Depois de passar por tudo isso sem ter sido presa (hahaha) acessamos uma área de espera já dentro do prédio. Ali é o único momento da sua vida onde o celular ou a câmera será autorizado desde que você desceu na estação de metrô Pentagon. Lá tem o booth para fotos, uma loja de souvenires e banheiros. Vá ao banheiro, o tour terá 60 minutos onde você será  vigiado o tempo inteiro por pelo menos dois soldados. Sem contar que eles deixam claro que este momento é o único onde você terá privacidade ao usar o banheiro. Se durante o tour você quiser usar, todos os presentes no grupo entrarão no banheiro com você. Melhor não…

Nesta área eles tem uma outra janela onde você tem de dar seu nome para confirmar mais uma vez se você está agendado. Se tiver tudo certo você segue para um auditório onde terá um briefing de segurança com todos os DONT’S enquanto você está dentro do prédio. Se você é meu ex colega de trabalho e está lendo isso e acha que tinha frescura demais no Consulado… reveja seus conceitos.

Enfim… eles separaram o grupo em grupos menores e fomos escoltados por um fuzileiro e um membro da Forca Aérea. Infelizmente fotografias lá são terminantemente proibidas. O prédio é sensacional. Andamos cerca de 2 milhas (quase três quilômetros) e eles contam a história da construção do prédio, histórias de pessoas famosas que já trabalharam por lá como Chuck Norris e Morgan Freeman, histórias de espionagem contra o prédio que foram descobertas. O curioso é que o prédio  em si é praticamente uma cidade. Tem shopping, Starbucks, lavanderias… impressionante o mundo à parte la dentro. O ponto alto do tour é quando eles levam o grupo para a área que foi destruída pelo avião que caiu nos ataques de 11 de Setembro. Os detalhes que são contados do dia do ataque, como os funcionários reagiram, o tempo de reconstrução da área, os americanos que viajaram de todo o país para voluntariar na reconstrução do prédio 24 horas por dia em 11 meses batendo o recorde previsto de um ano… enfim foi emocionante poder estar lá e ver por dentro e entender a visão deles do que aconteceu em 2001.

Se você vier para D.C e tiver tempo, se souber com antecedência suas datas de viagem e tiver curiosidade, eu super indico este passeio. Eles ficaram bem curiosos quando eu mencionei que era brasileira. Pelo o que entendi 90% das pessoas que fazem o tour são americanas. Então fica a dica para quem curte política e quer ver por dentro aquilo que está no nosso imaginário apenas em filmes.

Ao final do tour há um memorial do lado de fora (este pode ser visitado por qualquer pessoa sem agendamento). Há uma praça com bancos com os nomes das pessoas que faleceram nos ataques ao prédio em 11 de Setembro. Como fotos são proibidas a foto abaixo é da internet.

É isso… espero que tenham gostado das informações, se tiverem mais alguma dúvida ou comentário e só escrever pra mim que eu respondo.

 

Até a próxima

Compartilhe

Por Érica Brasilino

1

Pessoas comentaram

América EUA Quando Viajar Viagens Washington

Quando viajar para Washington D.C?

06 de junho de 2016

Além da acomodação, transporte e orçamento disponível para as férias , muitas vezes não pensamos no essencial para se ter uma ótima viagem: Qual época visitar o destino escolhido?

Muitas vezes nos preocupamos apenas quando a empresa pode nos liberar para curtir a tão sonhada e merecida férias. So que devemos nos preocupar em pesquisar se o destino será o ideal para quando podemos viajar.

Se você escolheu Washington D.C como seu destino, você deve levar alguns itens em consideração para definir a melhor época para visitar essa cidade incrível.

Inverno Americano – Dezembro a Março

Cheguei em DC no dia 3 de janeiro ou seja 3 semanas após o início do inverno. Posso falar com propriedade. É muito frio para o nosso padrão brasileiro. O que mais pode incomodar aqui em DC na verdade é o vento. A ventania na cidade é apavorante. Às vezes eu tinha medo do vento me levar. As temperaturas chegam aos -17C facilmente. Os dias são de um cinza interminável. Porém raramente chove. E quando chove claro que a chuva se torna neve pois está abaixo de zero. Se você tiver roupa adequada para enfrentar o inverno, isso não é um problema. Eu sai para todos os cantos da cidade durante estes 3 meses de inverno e confesso que prefiro a cidade para turistar nessa época. Não tem quase ninguém a não ser os próprios moradores e pessoas que aqui estão á trabalho e aproveitam para passear. É uma ótima pedida para fazer tudo o que durante os meses quentes é impossível como conseguir tickets para as atrações mais concorridas.  Nada que touca, luvas, cachecol, segunda pele, calça de lã, botas para neve, meias e um ótimo casaco de inverno por cima de mais umas 4 camadas de malhas não resolvam. Se eu que sou friorenta sobrevivi você também consegue.

Primavera Americana – Março a Junho

Tá aí uma estação extremamente interessante. A primavera é bem marcante aqui na parte norte do país. Em março, as pessoas alérgicas sofrem. Mas sofrem demais. Como as árvores pela cidade decidem entrar no pico do florescimento todas ao mesmo tempo, o pólen voa por toda a cidade. Até eu que não sofro de nenhuma ite (rinite, sinusite, etc) precisei tomar remédio. Era uma sinfonia de espirros por todos os lugares. Rostos inchados, narizes escorrendo e corrida às farmácias. Se você tem problemas severos de alergia eu aconselho que você não venha para DC em março. Porém, você com certeza perderá uma das épocas mais lindas dessa cidade. Nunca na minha vida vi cores tão lindas por todos os lados como na época do festival das cerejeiras. A cidade inteira fica coberta de rosas e as multidões chegam aos montes para ver de perto a beleza das árvores. A temperatura ainda é extremamente fria, não se engane. Varia entre -14C a 3C. Em abril é a época das chuvas. E este ano por incrível que pareça bateu o recorde e choveu incessantemente por 21 dias consecutivos. Eu evitei sair para turistar porque ninguém merece. Estamos no início de junho e finalmente esquentou. Estamos com as temperaturas entre 12C e 28C. Esta semana até deu pra pegar uma piscina só que as multidões já começaram a andar pela cidade. Conversando com locais, descobri que eu devo correr e visitar o restante das atrações até o final de junho pois em julho além de ser extremamente quente a cidade estará um inferno para passear.

Verão Americano – Junho a Setembro

Essa é uma estação que pode ser bem complicada para visitar Washington. Nos meses de junho, julho e agosto a cidade fica lotada por conta das férias escolares (lembre que o calendário escolar aqui é diferente). Os americanos chegam aos montes para aproveitar os museus e os incontáveis passeios gratuitos. Se você não estiver dentro de um local com ar condicionado no último nível, sua experiência turística pode ser bem desagradável. A cidade além de ser extremamente quente é muito úmida. Ficamos com o corpo pegajoso o dia inteiro. Porém os dias são compridos, no pico do solstício de verão até 8:30 da noite é possível ainda estar claro. Protetor solar e guarda chuva para se proteger do sol são itens indispensáveis por aqui.

Outono Americano – Setembro a Dezembro

Sem dúvida a minha estação favorita para visitar Washington. O calor começa a perder forças e o Pumpkin Spice Latte volta com tudo ao cardápio do Starbucks (sim, beba todos os dias porque a edição é limitada). A cidade fica exuberante, com tons de amarelo, laranja e vermelho por todos os lados. Se você ama as cores outonais, essa é a melhor época do ano para visitar a capital americana. Fiz um passeio fotográfico no pico do outono em outubro no Rock Creek Park e as fotos ficaram lindas. Ta aí uma ótima época também para contratar fotógrafos profissionais e tirar fotos de família para os cartões de Natal. Nessa época é sempre bom andar com um casaco na bolsa pois as temperaturas tendem a cair à noite.

 

E você, já decidiu qual época prefere visitar Washington D.C?

 

 

 

Compartilhe

Por Érica Brasilino

2

Pessoas comentaram